Polícia prende suspeitas de esfaquear homem que negou Pix após encontro em motel

Vítima foi socorrida e passa bem. Investigações apontam que mulheres, sendo uma delas trans, também são suspeitas de extorquir vítimas em outras cidades do Tocantins e do Maranhão.

Compartilhe:

A Polícia Civil prendeu duas mulheres, ambas com 21 anos, acusadas de extorsão e agressão a um jovem em um motel em Paraíso do Tocantins, região central do estado. Câmeras de segurança registram o momento em que elas escalaram o muro do estabelecimento para fugir.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

O crime ocorreu em 20 de abril, quando o jovem de 21 anos foi esfaqueado nas costas depois de se negar a enviar dinheiro por Pix para as mulheres. Uma delas é trans.

Vídeo:

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), uma das suspeitas foi detida na noite de quarta-feira (8) em Paraíso do Tocantins, por policiais civis da 6ª Divisão Especializada de Combate ao Crime Organizado (DEIC).

A segunda suspeita foi localizada e presa durante a madrugada em um hotel na cidade de Imperatriz (MA), por policiais civis da 16ª Delegacia de Polícia de São Miguel do Tocantins.

Ambas foram levadas às unidades policiais locais para as devidas providências legais e, posteriormente, encaminhadas às unidades prisionais.

Encontro marcado com apenas uma das mulheres

Segundo as investigações, na noite de 19 de abril deste ano, por volta das 23h40, a vítima havia combinado de encontrar apenas uma das acompanhantes.

“No entanto, compareceram ao motel duas mulheres, que, com a clara intenção de extorquir dinheiro da vítima, trancaram a porta e a coagiram, usando uma faca e violência, a realizar transferências bancárias sem a realização do programa”, destacou a SSP.

Após a recusa da vítima em enviar o Pix, iniciou-se uma sessão de agressões, culminando com três golpes de faca nas costas. Em seguida, as suspeitas fugiram pulando o muro dos fundos do motel.

A vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros Militar e levada ao Hospital Regional de Paraíso do Tocantins, onde recebeu atendimento médico e sobreviveu.

Segundo as investigações, as mulheres também são suspeitas de extorquir outras vítimas em cidades do Tocantins e Maranhão.