Mulher espancada por fisiculturista teve traumatismo craniano e oito costelas quebradas

Fisiculturista foi preso uma semana após levar a vítima inconsciente para o hospital e alegar que ela tinha caído. Ele responde por tentativa de feminicídio.

Compartilhe:

A mulher espancada por um fisiculturista em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana de Goiânia, sofreu traumatismo craniano nos dois lados da cabeça e teve oito costelas quebradas, conforme informações da Polícia Civil. O suspeito foi preso após levar a vítima para o hospital e alegar que ela havia caído em casa.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

A vítima, que foi levada inconsciente ao Hospital Santa Mônica no último dia 10 de maio, está em coma e internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), segundo a delegada Bruna Coelho, responsável pela investigação. Além das lesões mencionadas, ela teve a clavícula quebrada e escoriações nas coxas, boca e olhos.

O fisiculturista foi preso na sexta-feira (17) perto da residência do casal. A delegada informou que ele possui um histórico de violência doméstica contra uma ex-namorada e a atual.

Denúncia

A delegada Bruna Coelho, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Aparecida de Goiânia, explicou que a polícia foi acionada pelo hospital.

Fisiculturista é preso por espancar a mulher após levá-la a hospital inconsciente e dizer que ela caiu em casa.

“O hospital entrou em contato com a delegacia informando que tratava-se de múltiplas lesões, o que não é condizente com uma queda. Ela teve traumatismo craniano dos dois lados da cabeça e na base do crânio, fraturou a clavícula, oito costelas e teve várias escoriações pelo corpo”, disse Coelho.

Investigação

Ao receber a denúncia, a polícia iniciou a investigação. “Nós fomos até a casa e pedimos uma perícia no local. Um perito também esteve no hospital e nós ouvimos várias pessoas”, detalhou Coelho. A delegada acredita que o fisiculturista espancou a mulher e a levou para o hospital.

“Ele disse para a equipe médica que ela estava limpando a casa quando escorregou e caiu. Segundo ele, ela convulsionou e as lesões foram causadas pela queda. Então, ele deu um banho nela e a levou para o hospital, onde, de imediato, ela foi levada para uma cirurgia e depois para a UTI”, afirmou.

Histórico de violência

A investigação revelou que o fisiculturista tem um histórico de violência doméstica. “Nós investigamos o passado dele e ele tem antecedentes de Maria da Penha contra uma ex-namorada e contra a atual. Houve um inquérito por lesão corporal por murros, socos e chutes”, disse Coelho.

De acordo com a delegada, nesse primeiro inquérito, a vítima solicitou uma medida protetiva, mas quando o casal reatou o relacionamento, o pedido foi retirado. Por esses motivos, Coelho solicitou a prisão preventiva do fisiculturista, que, conforme a Polícia Civil, vai responder por tentativa de feminicídio.