Expedição vai percorrer rios do Jalapão para analisar habitat de pato que depende de água cristalina para sobreviver

Considerado o embaixador das águas, pato-mergulhão está ameaçado de extinção.

Compartilhe:

O pato-mergulhão, uma espécie rara de ave aquática ameaçada de extinção, é um indicador vital da qualidade da água em sua região. Para avaliar as condições em que vive no Tocantins, pesquisadores se prepararam para uma expedição na região do Jalapão na próxima semana.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Conhecido como embaixador das águas, essa espécie é encontrado em apenas três áreas do Brasil: no Jalapão, na Chapada dos Veadeiros (GO) e na Serra da Canastra (MG). Como o Tocantins abriga a menor população da espécie, as equipes planejam coletar amostras de água na Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins e na Área de Proteção Ambiental Jalapão (APA Jalapão) para avaliar o estado do habitat do pato-mergulhão.

Segundo Alexandre Resende, médico veterinário envolvido no Plano de Ação Nacional (PAN) para a conservação de espécies ameaçadas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a presença ou ausência dessa ave pode indicar a saúde dos cursos d’água e a possível contaminação.

Ele explicou que o pato-mergulhão recebe esse nome devido ao seu comportamento alimentar, que envolve mergulhos em rios. Por isso, a ave só é encontrada em águas cristalinas e correntes.

Expedição vai percorrer rios do Jalapão para analisar habitat de pato que depende de água cristalina para sobreviver
Foto: Divulgação/Naturatins

A expedição contará com pesquisadores de várias instituições ligadas à preservação ambiental. Durante três dias, eles coletarão amostras de água para análises físico-químicas, buscando identificar parâmetros como pH, temperatura e a presença de agrotóxicos que possam afetar a sobrevivência da espécie.

Além disso, serão realizados exames para detectar bactérias na água que possam afetar não apenas o pato-mergulhão, mas também outras espécies.

O trabalho de preservação do pato-mergulhão inclui, há dez anos, a coleta de ovos para reprodução em cativeiro. No Zoo Parque de Itatiba, em São Paulo, mais de 70 indivíduos estão sendo cuidados, com a intenção de, eventualmente, reintroduzi-los em seu habitat natural. No entanto, para isso ser viável, é crucial preservar o ambiente natural.

Expedição vai percorrer rios do Jalapão para analisar habitat de pato que depende de água cristalina para sobreviver
Foto: Divulgação/Naturatins

Alexandre ressaltou que proteger o pato-mergulhão significa indiretamente proteger habitats e a qualidade da água, beneficiando não apenas a vida selvagem, mas também as comunidades humanas que dependem desses recursos.

Além do Jalapão, análises semelhantes estão sendo conduzidas na Chapada dos Veadeiros, e em breve serão estendidas à Serra da Canastra. A preservação do pato-mergulhão é crucial não apenas para sua própria sobrevivência, mas para a saúde de todo o ecossistema em que habita.