Vídeo: PMs perseguem moto, presenciam acidente e não socorrem vítimas; menina de 13 e jovem de 18 anos morreram

Polícia Militar abriu um Inquérito para apurar as circunstâncias do caso e os agentes envolvidos foram afastados até a conclusão das investigações.

Compartilhe:

Manuela Carvalho, de 13 anos, e Albert Bauman, de 18 anos, morreram nesta segunda-feira (13) em decorrência de um acidente de moto no Jardim Iguatemi, na Zona Leste de São Paulo. Imagens de câmeras de segurança registraram o momento da colisão.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

O vídeo mostra a motocicleta sendo perseguida por uma viatura da Polícia Militar (PM). Logo em seguida, a moto capota, porém, os policiais prosseguem sem prestar socorro.

Assista o vídeo:

Um boletim de ocorrência foi registrado no 49º Distrito Policial (DP) de São Mateus, às 4h28, mas não pela viatura que aparece nas imagens. Um inquérito da Polícia Militar foi instaurado para esclarecer se houve perseguição policial à motocicleta.

Francisca de Souza Silva, mãe de Manuela Carvalho lamentou a tragédia: “Cheguei lá e vi a pior cena da minha vida. Minha filha na calçada, o outro menino também. Não prestaram socorro. Eram duas vidas, duas famílias que estavam ali”.

O condutor, Albert Bauman foi socorrido com vida ao Hospital de São Mateus, mas não resistiu aos ferimentos.

Quando outra equipe da PM chegou ao local, as vítimas já estavam recebendo atendimento. Os policiais relataram que, aparentemente, o condutor perdeu o controle da moto, subiu na calçada e colidiu com barras de ferro e um poste. No entanto, não mencionaram a viatura que aparece nas imagens.

A mãe de Manuela disse que testemunhas afirmaram que “foi a polícia que derrubou”. Foi ela que obteve as imagens das câmeras de segurança.

Menina sonhara em ser bailarina e aeromoça

Manuela Carvalho, de 13 anos, descrita como alegre e cheia de sonhos pela família, sonhava em ser bailarina e aeromoça. Seu velório ocorreu na tarde desta terça-feira (14) em Santo André.

“Minha sobrinha era um doce, uma bailarina linda, que abria todos os espetáculos da escola de balé. Era aplaudida por todos. A gente não se considerava exatamente tia e sobrinha. Ela era a irmã mais nova que eu nunca tive”, compartilhou Ana Julia Souza, tia de Manuela.

“Manu era uma menina muito alegre, sempre alegrava todo mundo. Era divertida, era muito difícil vê-la mal, era bem quieta, fazia tudo na escola. Ela era uma boa pessoa”, disse Tauane Marques, amiga da vítima.

Lilia Dourado, professora de balé de Manu, descreveu-a como uma “menina maravilhosa, sempre com um sorriso, sempre brincalhona”.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) afirmou que a PM instaurou um Inquérito Policial Militar para investigar o ocorrido e que os agentes envolvidos estão afastados até a conclusão das investigações. A pasta reiterou que não tolera desvios de conduta e que apura e pune rigorosamente casos de irregularidades. O 49º Distrito Policial de São Mateus também está conduzindo uma investigação, incluindo a análise das imagens compartilhadas.