Tio que matou sobrinha com quase 30 facadas era alcoólatra e não dava certo com ninguém da família, diz delegado

Crime aconteceu em Catalão (GO), na casa em que a adolescente morava com o tio, que se matou após o crime. Adolescente levou quase 30 facadas.

Compartilhe:

O delegado Marcos Vinícius Costa revelou que o tio, suspeito de cometer o homicídio com quase 30 facadas na sobrinha, tinha problemas de alcoolismo e um histórico conturbado com a família. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o homem tirou a própria vida após o crime.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

“O tio enfrentava problemas com o álcool, era uma pessoa reclusa e não mantinha boas relações com os membros da família”, afirmou o delegado.

O crime trágico ocorreu no último sábado (1º), no setor Jardim Brasília, em Catalão, região sudeste de Goiás, na residência onde a adolescente vivia com o tio e o avô. Os nomes da vítima e do suspeito não foram divulgados.

Nesta terça-feira (4), familiares da vítima foram interrogados pelas autoridades. O delegado encarregado da investigação revelou que, apesar de não ter histórico de violência, o tio mantinha uma relação conturbada com a família.

Segundo informações da Polícia Militar, na ocasião do crime, estavam presentes na casa a adolescente, o tio e o avô da vítima. O pai da adolescente a visitava regularmente, enquanto a mãe dela estava na casa da avó da menina, conforme explicou o delegado Marcos.

A jovem de 17 anos foi encontrada com múltiplos ferimentos causados por faca em várias partes do corpo, incluindo pescoço, antebraço, mão e abdômen. De acordo com o laudo da Polícia Técnico-Científica, a vítima faleceu no local devido à grande perda de sangue.

O avô da adolescente, também pai do suspeito, relatou à polícia que estava dormindo quando ouviu os gritos de socorro da neta. Ele tentou intervir para deter as agressões, mas foi ameaçado e intimidado pelo próprio filho.

Centro de Valorização da Vida (CVV)

O Centro de Valorização da Vida (CVV) oferece apoio emocional gratuito e confidencial a quem está passando por momentos difíceis, incluindo prevenção ao suicídio.

O serviço voluntário está disponível por telefone, e-mail, chat e presencialmente, garantindo um espaço seguro para conversas acolhedoras e sigilosas.

Voluntários atendem pelo telefone 188. Também é possível conversar via e-mail e chat através do site www.cvv.org.br, ou até pessoalmente, na Rua Campos Melo, 189, no bairro Vila Mathias. O local funciona 24h.