Morre, aos 57 anos, Tonny Brasil, compositor paraense precursor do tecnobrega

Tonny Brasil é considerado o pai do tecnobrega, gênero paraense que mistura batidas eletrônicas ao brega. O músico se consagrou por compor grandes sucessos, como "Dudu" e "Cumbia do Amor".

Compartilhe:

Morreu neste domingo (2), aos 57 anos, Tonny Brasil, compositor paraense e pioneiro do tecnobrega, gênero musical tradicional do Pará que incorpora batidas eletrônicas ao brega.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

A causa da morte do músico ainda não foi divulgada pela família, mas sabe-se que ele sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) em abril deste ano.

Tonny Brasil ganhou reconhecimento nacional como o pai do tecnobrega. Suas composições, como “Cumbia do Amor” interpretada por Marília Mendonça, e “Dudu” cantada por Joelma, atravessaram as fronteiras do estado e alcançaram sucesso em todo o Brasil, especialmente com a banda Calypso.

O compositor já comandava shows no início dos anos 2000 misturando toda a aparelhagem, fazendo músicas repletas de sintetizadores, por Belém, do Pará. E ganhou fama ao misturar elementos do zouk, o ritmo caribenho, às canções, que logo passaram a ser gravadas por grandes nomes da música paraense.

“Perdemos o pai do tecnobrega, Tonny Brasil. Grande compositor, produtor musical e artista que sempre vibrava com as minhas conquistas. Tonny sempre será um visionário da periferia, que, com poucos recursos, ajudou muitos artistas a terem uma carreira”, escreveu Gaby Amarantos em suas redes sociais.

Morre, aos 57 anos, Tonny Brasil, compositor paraense precursor do tecnobrega
Foto: Divulgação

Ao longo de sua carreira, Tonny Brasil escreveu mais de 2 mil letras, abordando temas de amor e alegria, com melodias contagiantes que convidam qualquer ouvinte a dançar e a se sentir nostálgico.

“Quando eu comecei a fazer música, Tonny foi uma grande referência para mim, porque ele era um dos poucos que compunham músicas para as aparelhagens (grande estrutura sonora que toca prioritariamente o tecnobrega). A gente perde um ser humano incrível, mas ganha grandes canções. Tenho muito orgulho de poder interpretar suas músicas”, homenageou a cantora Valéria Paiva.

Recentemente, uma de suas composições, “Oração”, cantada por ele mesmo, viralizou nas redes sociais. A canção, com suas batidas e melodia cativantes, foi usada como trilha sonora em vídeos nostálgicos na internet, por usuários de todo o mundo.

“O céu está em festa, porque recebe uma pessoa de coração maravilhoso, um grande artista, um grande músico. Mas a música paraense perde um dos seus grandes compositores”, lamentou a cantora Hellen Patrícia.

O corpo de Tonny Brasil está sendo velado na Funerária Max Domini, localizada na avenida José Bonifácio, no bairro Guamá, em Belém.