Irmãos mortos em confronto com a PM são suspeitos de participação em tiroteio durante show de Maiara e Maraísa

Confronto foi em uma casa, na região norte de Palmas. Tiroteio aconteceu durante festa de aniversário Tocantins, de Palmas. Um adolescente morreu e um PM foi baleado.

Compartilhe:

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Dois jovens foram mortos durante confronto com a Polícia Militar em uma residência na quadra 605 Norte, em Palmas. As vitimas eram irmãos e foram identificadas como Jonas Rodrigues de Oliveira, de 17 anos, e João Victor Rodrigues Bezerra, de 23 anos, e ambos não resistiram aos ferimentos, indo a óbito no local.

Segundo informações da PM, a princípio, há indícios de que os irmãos estão relacionadas ao tiroteio que ocorreu na praça dos Girassóis, em Palmas, na madrugada do mesmo dia, durante o show de Maiara e Maraísa, no qual um adolescente de 17 anos foi morto e um policial ficou ferido.

O comandante-geral da PM, coronel Márcio Antônio Barbosa, confirmou essa ligação. Ele afirmou que testemunhas citaram o nome dos irmãos é que eles eram bastante conhecidos da polícia, com passagens por tráfico, roubo e furto.

Foto: Reprodução

Ainda de acordo com o comandante, um deles foi o responsável por atear fogo em uma viatura da Polícia Civil no ano passado.

A PM afirmou que ocorreu troca de tiros entre os dois irmãos e os policiais militares. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas ambos já estavam sem vida quando chegaram ao local.

O comandante mencionou também que os policiais foram recebidos com disparos, e os irmãos chegaram a fazer uma adolescente de 14 anos de refém. Ele explicou: “Eles pegaram uma jovem de 14 anos como refém, segurando pelo pescoço e disparando contra a Polícia Militar. Durante o tiroteio, a Polícia Militar acabou atingindo os dois, que vieram a óbito.”

A área foi isolada, e uma perícia foi realizada para coletar evidências que servirão de base para as investigações. Vizinhos relataram que o irmão mais velho havia saído recentemente da Casa de Prisão Provisória de Palmas. Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Palmas e já foram liberados para os familiares.

Tiroteio

O jovem que perdeu a vida durante o tiroteio na festa de aniversário do Tocantins foi identificado como Ruan Gomes da Silva, de 17 anos. O incidente ocorreu por volta das 3h da madrugada desta sexta-feira (6).

Conforme informações da PM, até o momento, o que se sabe é que um policial de folga e à paisana se envolveu em uma discussão com dois homens durante o tumulto. Um dos homens tomou a arma do policial e disparou. O policial foi atingido por dois tiros, um na costela e outro no quadril. Também foi relatado que um casal teria sido ferido por tiros de raspão, mas eles passam bem.

O Governo do Tocantins emitiu uma nota lamentando a morte do adolescente e esclarecendo que está tomando medidas para esclarecer os fatos e responsabilizar o autor do homicídio. A 1ª Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP Palmas) e a perícia técnica estiveram no local coletando informações e vestígios que auxiliarão nas investigações. O autor dos disparos ainda não foi identificado.

Foto: Divulgação

Por fim, o governador do estado, Wanderlei Barbosa, reuniu-se com as forças de segurança e determinou que toda assistência seja prestada à família do adolescente, além de reforçar a segurança para o restante das comemorações do aniversário do Tocantins, enfatizando que o ocorrido foi um fato isolado e que nenhuma outra ocorrência foi registrada durante o evento.

Jovem morto era estudante do ensino média e trabalhava como chapeiro

O adolescente Ruan Gomes da Silva, de 17 anos, estava prestes a concluir seus estudos e trabalhava como chapeiro em uma lanchonete. Ele foi morto após ser atingido por bala perdida durante o show da dupla Maiara e Maraísa realizado em comemoração ao 35º aniversário do Tocantins.

O Tiroteio ocorreu após um policial à paisana se envolver em uma briga e acabou perdendo sua arma. A família de Ruan está profundamente abalada pela tragédia, destacando que o jovem era um trabalhador dedicado e estudioso.

A mãe, Veralucia Gomes de Lima Silva, enfatizou: “Eu só quero esclarecer que meu filho trabalha, meu filho estuda. Meu filho nunca foi bandido, meu filho nunca fez mal pra ninguém na vida dele.”

Jorge Rodrigues, pai de Ruan, relatou que estava retornando de uma viagem e foi surpreendido com a notícia da tragédia. Ele compartilhou que seu filho estava acompanhado de primos no evento e que Ruan cursava o último ano do ensino médio. Lamentando a situação, ele disse: “Ele estava com os primos. Foi vítima de uma bala perdida. Situação difícil, a gente fica sem palavra.”

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.