Homem é preso por jogar o próprio filho de 11 meses por janela de carro em movimento no RS

Caso aconteceu após após discussão com a mãe do bebê. Mulher foi obrigada a se atirar do carro em movimento e acabou ferida. Homem foi espancado por moradores antes de ser detido.

Compartilhe:

Um homem de 40 anos foi preso em flagrante na noite de quinta-feira (22) após atirar o filho dele, um bebê de 11 meses pela janela de um carro em movimento. Caso aconteceu em Novo Hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Segundo informações da Brigada Militar (BM), a criança foi jogada durante uma discussão entre o homem e sua esposa, mãe da criança, por volta das 21h. A mulher, de 25 anos, teria sido forçada a se lançar do veículo ainda em movimento e ficou ferido. O caso foi registrado como tentativa de feminicídio.

O boletim de ocorrência também incluiu acusações de tentativa de homicídio. No entanto, os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

A Polícia Civil informou que o homem já possuía um histórico de violência doméstica contra sua companheira, embora não houvesse nenhuma medida protetiva em vigor contra ele.

Testemunhas presenciaram a cena e reagiram agredindo o homem ainda no local.

Tanto o homem quanto a mulher foram encaminhados ao Hospital Municipal da cidade. Segundo a Brigada Militar, a mulher sofreu um traumatismo craniano. O bebê foi levado para uma unidade de pronto-atendimento (UPA) do município e encontra-se em estado estável.

Uma testemunha, identificada como o pedreiro Sérgio Melo, relata que transportou a criança até a UPA em seu próprio veículo.

“Primeiro socorremos a criança. Ele estava gravemente ferido e relutava em se mexer para evitar mais complicações. Eu o levei em meu carro, pois a ambulância levaria muito tempo”, disse o pedreiro.

Ele relatou que também testemunhou a queda da mãe da criança do veículo, resultando em ferimentos. A Brigada Militar informou que a mulher foi diagnosticada com traumatismo craniano após exames médicos.

“Ouvimos um barulho, então pulei o muro e vi uma mulher deitada no chão, com sangue escorrendo pela cabeça. A socorremos para um local seguro e chamamos a ambulância”, relatou a testemunha.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp