Empresária morta a tiros pelo ex dentro de loja pediu socorro e implorou para que ele parasse

Homem foi denunciado pelo MP por descumprir medida protetiva, violência doméstica, homicídio e porte ilegal de arma. Vídeo mostra quando ele entrou no escritório, deu um tapa na mulher e fez disparos.

Compartilhe:

O assassinato de uma empresária em Anápolis, a 55km de Goiânia, revelou que a vítima, alvejada por tiros disparados pelo ex-marido dentro de uma loja, suplicou por socorro e implorou para que o Edney Pereira dos Santos parasse. A informação consta na denúncia apresentada pelo Ministério Público de Goiás.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Um vídeo capturou o momento em que o suspeito adentrou o escritório, agrediu a mulher e, em seguida, efetuou os disparos.

Assista o vídeo:

De acordo com o MP, testemunhas relataram que após a agressão, ouviram os gritos desesperados da mulher, clamando: “Não faça isso, pare, socorro”. Em seguida, os disparos ecoaram.

Edney foi denunciado por descumprimento de medida protetiva, violência doméstica, homicídio com motivação vil e porte ilegal de arma de fogo.

O advogado do acusado argumentou que seu cliente é um Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC), justificando assim a posse de arma de fogo. Quanto ao crime de homicídio, a defesa afirmou que as evidências não foram apresentadas de forma conclusiva.

Para o MP, o homem disparou três vezes contra a vítima, desrespeitando a medida protetiva que o proibia de se aproximar a menos de 300 metros dela.

Vídeo mostra momento da prisão no Tocantins de suspeito de assassinar a ex-mulher em Goiás
Foto: Reprodução

O crime ocorreu em 28 de março. A loja de autopeças era de propriedade dos dois, mas Regiane assumiu sua administração após a separação. Conflitos sobre a divisão de bens teriam culminado na tragédia.

Entenda o caso

Segundo o MP, no dia do ocorrido, por volta das 13h, a vítima solicitou a uma funcionária que fosse à outra loja, gerida pelo ex-marido, buscar a chave de um cofre onde suas joias estavam guardadas. A funcionária relata que ele permitiu a busca e informou que buscaria algo no carro. O suspeito, então, armado, dirigiu-se à loja vizinha, violando a medida protetiva.

Ao chegar ao local, ele agrediu a mulher e disparou três vezes. Os funcionários ouviram os gritos de socorro, mas ao chegarem, Regiane já estava sem vida.

O MP afirma que, ao deixar o estabelecimento, o homem efetuou mais um disparo na via pública e fugiu. Na cidade de Senador Canedo, entregou o carro e a arma do crime a um sobrinho e partiu em outro veículo. O sobrinho alegou ter sido induzido ao erro e não foi denunciado. O homem foi preso após fugir para o Tocantins.