Apontado como mandante de 50 mortes, ‘Charada’ criou loja virtual de drogas e queria explodir traficante rival

Criminoso é apontado pela polícia como articulador da maioria das mortes registradas em Palmas em 2023. Ele foi preso no RS durante a operação Gotham City.

Compartilhe:

A investigação da Polícia Civil apontou que o criminoso Carlos Augusto Silva Fraga, de 30 anos, conhecido como ‘Dad Charada’, ascendeu rapidamente na hierarquia de uma facção criminosa devido ao seu perfil meticuloso e empresarial. Ele é apontado como o articulador da maioria das mortes ocorridas em Palmas em 2023 e tinha a intenção de matar um rival usando uma bomba.

O advogado de defesa de Charada afirma não ter acesso à maioria dos inquéritos contra seu cliente, pois estão sob segredo de justiça, e alega que ele é inocente em relação ao mandado que resultou em sua prisão.

Segundo a polícia, a onda de assassinatos teve início quando Charada trocou de facção nos últimos anos, desencadeando uma guerra econômica e territorial. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) atribui mais de 60% das mortes a esse conflito entre facções.

No entanto, levantamentos com base em dados da SSP indicaram que mais da metade das vítimas de homicídio até 15 de maio não tinham antecedentes criminais.

Após mudar de facção, Charada passou a aplicar estratégias de marketing digital para vender drogas em Palmas. Interceptações de mensagens revelaram que o grupo estabeleceu lojas virtuais e até mesmo uma central de atendimento ao cliente.

Nas redes sociais, a polícia encontrou tabelas com os preços das drogas. Em uma conversa, Charada questiona um comparsa sobre a falta de publicações nas redes sociais.

Foto: Divulgação/SSPTO

Além disso, o grupo adotava outras estratégias, como programas de fidelidade para usuários e a venda de camisetas com a identidade visual da facção.

A investigação apontou que Charada seria responsável por articular pelo menos 50 mortes e planejava assassinar mais 100 rivais até o final do ano. Ao trocar de facção, ele teria obtido informações privilegiadas sobre seus antigos comparsas.

Charada também tinha planos de matar outro traficante usando uma bomba controlada remotamente. Seu objetivo era causar caos na cidade. A prisão dele é considerada muito importante para a redução dos índices de criminalidade, de acordo com o delegado Eduardo Menezes.

A polícia afirma que o suspeito também esteve envolvido em uma série de ataques a ônibus do transporte público, uma tática utilizada para criar confusão e despistar as autoridades.

Foto: Divulgação

Prisão

Charada havia fugido para o Rio Grande do Sul e conseguiu obter documentos com outro nome. Ele até marcou uma audiência na Polícia Federal para tentar emitir um passaporte e fugir para Portugal.

Ele foi preso em Passo Fundo pela Polícia Civil gaúcha durante a Operação Gotham City, que investiga a morte de Wenesph Freitas da Silva e Giovanna Alessandra Ribeiro da Silva. Outros dois suspeitos do mesmo crime também estão detidos.

Após a prisão, Charada foi transferido para Palmas.

O que diz a defesa

Primeiramente, a defesa esclarece que a advocacia é um sacerdócio, que prestamos um trabalho técnico na defesa de nossos constituintes, que não escolhemos causas para defender, que somos norteados pelo vício da defesa.

Quanto aos fatos que são imputados ao nosso cliente, esclarecemos que a maioria dos inquéritos nos quais ele está indiciado, estão em segredo de justiça graus 3 e 4, que ainda não tivemos acesso, e que por esse motivo, neste momento é prematura a eleição de tese de defesa, sendo necessário total e irrestrito acesso aos autos.

Quanto ao mandado de prisão que originou a captura de nosso cliente, esclarecemos que o mesmo é inocente, que entre os supostos autores, existem mais dois investigados, que supostamente atuaram na execução do crime, não tendo nada em concreto contra nosso cliente.