Vídeo registra o momento do acidente que matou oito pessoas na GO-415

Imagens mostram que um dos carros invadiu a pista contrária e bateu contra o outro. Um dos veículos envolvido estava com seis amigos que saíram para comemorar o aniversário de um deles.

Compartilhe:

Uma câmera de segurança registrou o momento do trágico acidente que resultou na morte de oito pessoas na GO-415, em Goianápolis, na Região Metropolitana de Goiânia.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Nas imagens, é possível ver claramente um dos veículos invadindo a pista contrária e colidindo com outro. Assista o vídeo:

O acidente ocorreu durante a noite do domingo passado (7). Um dos carros envolvidos transportava seis amigos que estavam celebrando o aniversário de um deles.

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML), as vítimas fatais do acidente foram:

  • Bruno Ferreira dos Santos (13 anos)
  • Giliarde Alves Rodrigues (20 anos)
  • Richard Henrique Souza Branquinho Cardoso (19 anos)
  • Cláudio Delmondes Cavalcante (19 anos)
  • Leandro Lopes da Costa (21 anos)
  • Max Suel Dias de Sousa (20 anos)
  • Guilherme Viana de Oliveira (27 anos)
  • Karuliny Dorneles Alunos (32 anos)

No primeiro veículo estavam o estudante Bruno Ferreira dos Santos e seus amigos Giliarde, Richard, Cláudio, Leandro e Max Suel.

Vítimas do acidente que matou oito pessoas em Goianópolis,
Foto: Reprodução

No segundo veículo estavam Guilherme Viana e Karuliny Dorneles, que também morreram. Uma outra mulher estava com eles e foi resgatada. Ela internada em estado grave em uma UTI no Hospital Estadual de Anápolis.

A família de Max Suel contou que ele estava dirigindo o veículo. Quatro dos amigos foram velados em Terezópolis de Goiás, na região central do estado.

Em nota, a escola em que o adolescente Bruno estudava lamentou a perda. “Um de nossos alunos do sétimo ano e os irmãos de duas alunas do primeiro e segundo ano do Ensino Médio nos deixaram prematuramente. Nossos corações estão com suas famílias neste momento difícil”, escreveu a instituição.