Tribunal marca julgamento de acusado de matar companheira dois dias após ser solto

Felipe de Jesus Magalhães, de 26 anos, é réu pela morte de Madalena dos Santos Marques, que tinha 50 anos. Crime aconteceu em Palmas.

Compartilhe:

O julgamento do acusado de esfaquear e matar Madalena dos Santos Marques, de 50 anos, dois dias após ser liberado da prisão por agredi-la, está agendado para o próximo dia 21 de maio. Após a audiência de instrução, a Justiça determinará se Felipe de Jesus Magalhães, de 26 anos, será encaminhado ao júri popular.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

O crime ocorreu em 27 de novembro de 2023, quando a vítima foi assassinada em uma quitinete no Jardim Aureny III, região sul de Palmas. O suspeito foi detido no local pela Polícia Militar. Conforme a denúncia, Felipe atacou Madalena após esta cobrar explicações por sua ausência sem aviso prévio. A Defensoria Pública Estadual está encarregada da defesa do réu.

O casal mantinha uma união estável, marcada por conflitos e episódios de violência. Felipe ficou detido entre 5 de outubro e 24 de novembro de 2023 por agredir Madalena.

Após a própria Madalena manifestar-se favorável à liberdade de seu parceiro, “declarando não se sentir mais ameaçada por ele” em uma audiência na Vara de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Felipe foi solto em 25 de novembro, um sábado.

Entretanto, dois dias depois, na segunda-feira, ele a assassinou com golpes de faca no peito e na barriga. O suspeito permaneceu na residência e foi detido pelo crime de feminicídio.

Foto: Reprodução

Conforme o Tribunal de Justiça, na audiência de instrução de 21 de maio, às 15h, serão ouvidos Felipe e três testemunhas indicadas pelo Ministério Público e Defensoria Pública. Posteriormente, o processo será consolidado com provas, e o juiz da 1ª Vara Criminal de Palmas, Cledson José Dias Nunes, decidirá se o réu será julgado por júri popular ou não.

Sobre o crime

A Polícia Militar informou que foi acionada por volta das 17h. Quando chegaram ao local, no Jardim Aureny III, Madalena já estava sem vida. Felipe estava presente e foi detido sem resistência.

Segundo o processo, no dia anterior ao crime, o casal discutiu enquanto consumia bebidas alcoólicas. A briga teria iniciado após Madalena questionar Felipe sobre seu paradeiro anterior.

Após o feminicídio, o então suspeito solicitou à vizinhança que chamasse a polícia e o Samu. Ele estava em liberdade condicional após ter sido preso por agressão à mesma vítima e saído da detenção dois dias antes. Após ser apresentado na delegacia, foi encaminhado à Unidade Penal de Palmas.