Polícia é acionada após menina de 7 anos morrer em hospital e médicos suspeitarem de abuso sexual

Caso será investigado pela 2ª Delegacia Especializada de Atendimento a Vulneráveis de Araguaína. Os pais da criança, de 7 anos, relataram não ter conhecimento da lesão.

Compartilhe:

A morte de uma menina de 7 anos no Pronto Atendimento Infantil (PAI) de Araguaína, no norte do Tocantins, é investigada da Polícia Civil. Segundo relato da mãe, a criança foi levada ao hospital devido a sintomas gripais. Contudo, a equipe médica notou lesões que sugeriam abuso sexual na menina.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Conforme a mãe, de 26 anos, ela inicialmente buscou atendimento em um posto de saúde em Itapecuru, no Maranhão, e depois no hospital de Carolina, também no Maranhão. Lá, foi encaminhada para o PAI de Araguaína.

A menina foi conduzida ao PAI pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na terça-feira (30). Após a consulta, os profissionais de saúde identificaram uma lesão indicativa de abuso sexual na região genital da criança.

Diante disso, a equipe médica acionou o Conselho Tutelar e a Polícia Militar para conversar com os pais da menina. A mãe afirmou aos policiais que não tinha conhecimento da lesão. O pai, de 26 anos, que trabalha com transporte escolar e passava pouco tempo com a filha, também alegou desconhecimento do caso.

Os pais foram conduzidos à delegacia para prestar esclarecimentos, acompanhados do Conselho Tutelar e da PM. Após serem ouvidos, foram liberados. O corpo da menina foi submetido a exame no Instituto Médico Legal de Araguaína e entregue à família.

Para proteger a vítima e garantir a autonomia do trabalho policial, os nomes dos pais não foram divulgados. O caso será investigado pela 2ª Delegacia Especializada de Atendimento a Vulneráveis (DAV – Araguaína).