Funcionário e duas garotas de programa são presos por matar boliviana dona de prostíbulo em Goiás

Segundo a Polícia Civil, motivo do crime seria o atraso no pagamento. Suspeito de ser o executor teria confessado o crime em depoimento.

Compartilhe:

Três pessoas foram presas suspeitos de assassinar a boliviana Katherine Liliana, de 35 anos, a facadas em um prostíbulo em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Segundo a Polícia Civil, os suspeitos trabalhavam com a vítima no prostíbulo que ela era dona.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Os suspeitos, que não tiveram os nomes divulgado, são duas delas garotas de programa e o marido de uma delas. Os mandados de prisão foram cumpridos na terça-feira (21).

De acordo com a Polícia Civil, o crime foi motivado pela falta de pagamento dos programas realizados pelas suspeitas.

Investigação

A investigação, que contou com imagens de câmeras de segurança, indica que as mulheres suspeitas estavam próximas ao prostíbulo na noite do crime. O marido de uma delas chegou de carro, parou em frente ao local e entrou.

O suspeito permaneceu no prostíbulo por cerca de dois minutos, acompanhado por uma das outras duas suspeitas, período durante o qual se acredita que o crime foi cometido. A terceira pessoa envolvida no crime foi até a casa do suspeito da execução enquanto o crime acontecia, segundo a Polícia Civil.

Versão dos presos

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito de executar a boliviana a facadas confessou o crime após ser preso e interrogado, afirmando estar arrependido. Ele relatou ainda não se lembrar de como ou por que matou Katherine.

Em seu depoimento, o suspeito afirmou que havia usado drogas e consumido bebidas alcoólicas no dia do crime.