Delegada diz que pastor Davi Passamani usava versículos bíblicos para ‘abordar’ vítimas

Investigação aponta que o perfil físico das vítimas era semelhante. Vídeo mostra o momento da prisão do pastor por crimes sexuais.

Compartilhe:

O pastor Davi Passamani, detido em Goiânia sob suspeita de crimes sexuais, empregava uma abordagem semelhante ao se aproximar das vítimas, revelou a investigação. Conforme explicou a delegada Amanda Menucci, Passamani se valia de mulheres emocionalmente vulneráveis, recorrendo até mesmo a versículos bíblicos para iniciar o contato (veja no vídeo acima o momento em que o religioso chega à delegacia).

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

“A conversa começava com temas religiosos, ele citava passagens da Bíblia e abordava com base na fé, aproveitando-se da vulnerabilidade emocional”, detalhou a delegada.

Em nota, o advogado Leandro Silva afirmou que a prisão “não passa de uma conspiração para destruição de sua imagem e uma ação ilegítima para prejudicar seu patrimônio, causar ruína financeira e impedir o livre exercício de sua religião”. O advogado acrescentou que desconhece qualquer ordem judicial que restrinja Passamani de praticar sua fé e tomará medidas para sua liberação.

A delegada detalhou que as vítimas apresentavam um perfil físico semelhante: mulheres jovens e atraentes. Passamani oferecia orações por elas pelo Instagram e, posteriormente, solicitava o número do WhatsApp, conforme apontou a investigação.

“Ele introduzia temas religiosos, mencionava ter tido visões ou sonhos religiosos e logo em seguida passava para conversas de teor sexual e cometia o crime”, acrescentou.

As informações foram divulgadas pela delegada Amanda Menucci em uma coletiva de imprensa na sexta-feira (5). O pastor foi detido na noite de quinta-feira (4) por agentes da Delegacia Estadual de Atendimento Especializado à Mulher. Segundo a polícia, ele estava sendo investigado desde dezembro de 2023 por importunação sexual.

“Após as investigações, a Polícia Civil concluiu que ele representava um perigo para a ordem pública, colocando em risco novas mulheres devido à prática contínua de crimes sexuais, e solicitou a decretação de sua prisão preventiva”, afirmou a delegada.

Passamani foi preso quando se dirigia a um evento de louvor. O religioso passou a ser investigado após denúncias de crimes sexuais. A última vítima registrou um boletim de ocorrência em 20 de dezembro de 2023, relatando que o líder religioso enviou mensagens com conteúdo sexual e descreveu fantasias eróticas.

Vídeo:

Em 26 de março deste ano, o pastor foi condenado a pagar uma indenização de R$ 50 mil por assédio. A vítima do processo pediu uma compensação ao pastor por danos morais. Segundo a defesa da vítima, o valor será destinado a instituições que auxiliam mulheres vítimas de violência.

Davi é o fundador da igreja Casa, em Goiânia, e renunciou ao cargo de presidente e líder religioso em dezembro de 2023, após ser acusado de importunação sexual por outra mulher.

Denúncias

Em março de 2020, uma jovem de 20 anos usou as redes sociais para denunciar Passamani por importunação sexual. A denúncia foi formalizada na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia, que investigou o relato e encaminhou o inquérito ao Ministério Público.

Segundo a jovem, o assédio teria ocorrido pouco mais de um ano antes da denúncia, mas ela explicou que teve medo e insegurança para relatar a situação. Em suas postagens no X (antigo Twitter), ela afirmava possuir provas da denúncia, como áudios, mensagens de texto e até mesmo um vídeo de uma chamada na qual o pastor teria participado.

Pastor Davi Passamani é preso em Goiânia suspeito por crimes sexuais
Foto: Divulgação

Na época, o advogado do pastor afirmou que ele havia sido afastado de suas funções religiosas para tratamento médico especializado. No final de março, Passamani gravou um vídeo no qual negava as acusações de crime e mencionava o apoio psiquiátrico que havia buscado.

Um mês depois, o processo foi arquivado pela Justiça por “ausência de justa causa”. O caso corre em segredo de Justiça.

Em 20 de dezembro de 2023, outra vítima registrou um boletim de ocorrência relatando que o líder religioso havia enviado mensagens com teor sexual, descrevendo fantasias eróticas e até mesmo feito uma chamada de vídeo exibindo órgãos genitais. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

A jovem relatou à polícia que havia procurado Davi anteriormente para aconselhamento, após enfrentar problemas em seu relacionamento. Segundo ela, a conversa teria começado quando o pastor perguntou sobre sua vida amorosa. Ela agradeceu as orações e informou que havia encerrado o namoro. A partir desse ponto, a conversa teria evoluído para investidas sexuais por parte do líder religioso. A investigação está em segredo de Justiça.

Quem é o pastor

Davi Passamani liderou o grupo gospel Ministério Ipiranga por mais de 10 anos, na Igreja do Evangelho Quadrangular do Ipiranga, em São Paulo. Em 2010, ele deixou a banda e, três anos depois, lançou seu primeiro álbum solo, continuando sua carreira até 2018, com cinco discos lançados.

Residindo em Ipatinga, Minas Gerais, Davi decidiu mudar-se com a esposa e suas duas filhas para Goiânia, com o propósito de iniciar um grupo religioso. Em 2017, fundou a Igreja Casa, que atualmente atrai um público de mais de mil pessoas a cada culto, predominantemente jovens.

A partir dessa igreja, surgiu a banda Casa Worship em 2018, que ganhou destaque com a música “A Casa É Sua”. Naquele mesmo ano, o álbum “Novo Tempo” foi indicado ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Cristã.

Nota da defesa de Pastor Passamani