Corpos de mãe e filho de sete anos mortos a pauladas são sepultados no sul do Tocantins

Crime aconteceu em um assentamento de Cariri do Tocantins. Namorado da vítima foi preso suspeito do crime que teria sido motivado por ciúmes; ele confessou e relatou "que ficou cego devido à bebida", segundo a polícia.

Compartilhe:

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Os corpos de mãe e filho assassinados de forma brutal foram velados na manhã desta sexta-feira (10). O velório ocorreu no salão de uma funerária em Gurupi e depois levados para o cemitério de Cariri do Tocantins, onde mais um momento de homenagens. O sepultamento ocorreu por volta das 10h.

Na ocasião, familiares e amigos da vítima demonstraram estar inconformados como crime. “A gente tá sentindo muita dor. Principalmente pela criança que foi sacrificada. Isso tem que ter justiça”, disse Patrícia Barbosa, amiga da família.

Benilde Pereira Milhomem, de 42 anos, e o filho dela, Enzo Daniel Milhomem Soares, de apenas sete anos, foram mortos a pauladas na casa onde moraram que fica perto de um assentamento chamado Santa Rita, em Cariri. Os corpos foram encontrados Os corpos foram encontrados durante a tarde desta quinta-feira (13) por uma agente comunitária de saúde que foi até o local para uma visita.

Foto: Divulgação

O suspeito do crime é o namorado da vítima, leudson Ferreira de Almeira, de 38 anos.. Ele confessou o crime e foi levado para Casa de Prisão Provisória (CPP) de Gurupi. Uma perícia foi solicitada na cena do crime para esclarecer a dinâmica dos fatos.

O policial militar que esteve no local onde mãe e o filho foram mortos descreveu o cenário brutal dos assassinatos. O tenente Adair Aquino contou ao G1 que o menino ficou com o rosto deformado após ser morto a pauladas. “A gente percebeu os dois corpos lá: a mãe bastante violentada e uma criança com o rosto deformado. Em diligências na fazenda a gente conseguiu achar uma camisa que ele tinha escondido a aproximadamente sete quilômetros da sede para tentar encobrir o crime”, relatou.

Na delegacia Cleudson Ferreira contou que havia saído para beber com a mulher na noite anterior e quando voltou para casa houve uma discussão.

Foto: TV Anhanguera

Agente: O senhor estava bêbado?
Suspeito: Nós, todos os dois. Ela foi me dá com a mão. Tanto é que pegou um pau para meter em mim. Aí nós começamos a briga [sic].

O crime teria sido motivado por ciúmes. “Ele relata ser ciúmes da mulher. Perguntamos para ele o motivo de ter feito esse crime tão brutal com uma criança daquela idade e ele relatou que ficou cego devido à bebida”, acrescenta o oficial da PM.

A polícia conseguiu localizar o pedaço de madeira que teria sido utilizado nos assassinatos e apreendeu o celular do suspeito. No telefone da vítima foram encontradas mensagens com ameaças à vítima que reforçam as suspeitas da polícia sobre o namorado.

Segundo o delegado Joadelson Albuquerque, responsável pelo caso, Cleudson Ferreira tem passagens por ameaça e uma ex-companheira chegou a pedir uma medida protetiva contra ele. “Temos notícias de violência doméstica, ameaças e lesões corporais contra a companheira anterior”, explicou.