Caminhoneiro vira réu por causar acidente que matou quatro PMs em Goiás

Os policiais militares do Comando de Operações de Divisas que estavam em serviço na viatura morreram. Laudo da perícia aponta que PM tentou desviar do caminhão e evitar o acidente.

Compartilhe:

Um caminhoneiro tornou-se réu por causar um acidente que resultou na morte de quatro policiais militares em Cachoeira Alta, na região sudoeste de Goiás. Na decisão, o juiz mencionou que, de acordo com o laudo da perícia, o caminhão estava acima do limite de velocidade permitido, com sobrepeso de carga e invadiu a pista contrária.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

A decisão foi emitida pelo juiz Filipe Luis Peruca na terça-feira (21). A defesa do motorista afirmou que não concorda com a denúncia feita pelo Ministério Público e que se “empenhará em garantir ao réu o seu direito à ampla defesa e contraditório, comprovando, na sequência, a sua inocência”.

Durante depoimento, o caminhoneiro negou ter dirigido o caminhão de forma irregular. No entanto, o Ministério Público denunciou o caminhoneiro por homicídio doloso (quatro vezes, considerando as quatro vítimas) e pelo artigo 70 do Código Penal, que se aplica quando uma pessoa pratica dois ou mais crimes mediante “uma só ação ou omissão”.

O acidente ocorreu na noite do dia 24 de abril. As vítimas foram: o subtenente Gleidson Rosalen Abib, o 1º sargento Liziano José Ribeiro Junior, o 3º sargento Anderson Kimberly Dourado de Queiroz e o cabo Diego Silva de Freitas. Na colisão, o caminhoneiro sofreu apenas ferimentos leves.

Velório de PMs mortos em acidente em Goiás.
Foto: Divulgação

O juiz explicou a possibilidade de dolo no homicídio em que o caminhoneiro é acusado:

“Embora o réu tenha negado o dolo durante seu interrogatório, ao menos numa análise preliminar adequada para o momento do recebimento da denúncia, […] o réu teria, hipoteticamente, agido com dolo eventual, pois tinha condição de prever o resultado danoso de seu comportamento, […] especialmente considerando que se trata de um motorista profissional”, ponderou o magistrado.

Laudo Pericial

A perícia da Polícia Científica concluiu que o caminhoneiro invadiu a contramão e bateu contra a viatura na BR-364. O laudo analisou as marcas de pneus na pista para entender a dinâmica da colisão, revelando que o caminhão estava a uma velocidade entre 110 e 120 km/h.

Acidente envolvendo viatura e carreta mata quatro PMs em rodovia de Goiás
Foto: Reprodução

A perícia também verificou que a viatura saiu da pista para tentar desviar do caminhão e evitar o acidente. O condutor da viatura desviou à direita, entrando no acostamento, o que não foi suficiente para evitar a colisão.

O Acidente

Um vídeo mostra que a viatura e a carreta envolvidas no acidente ficaram destruídas. Em nota, a PM informou que os militares estavam em deslocamento durante um serviço no momento da colisão. Os corpos dos policiais foram velados e sepultados no dia 25 de abril após um cortejo.