Briga que levou ao espancamento de jovem em escola teria iniciado na internet

Familiares da vítima foram à escola e acabaram batendo nas agressoras. Todos os envolvidos foram levados para delegacia. Caso foi em Ponte Alta do Bom jesus, no sudeste do Tocantins.

Compartilhe:

Uma discussão iniciada nas redes sociais por causa de uma suposta cobrança de drogas teria sido o estopim para uma briga que resultou no espancamento de uma estudante de 18 anos em uma escola de Ponte Alta do Bom Jesus, no sudeste do Tocantins. O caso, ocorrido nesta quarta-feira (10), provocou uma reação violenta por parte de parentes da jovem agredida, que foram até a instituição de ensino e agrediram as supostas agressoras.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

De acordo com informações da Polícia Militar, a confusão envolveu quatro estudantes, e testemunhas afirmaram que a disputa iniciada online se desdobrou nos corredores da escola. Três adolescentes, duas de 16 anos e uma de 15, teriam começado as agressões contra a jovem de 18 anos.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra parte da briga, que foi interrompida por funcionários da escola. A vítima sofreu lesões no rosto, tórax, antebraço e coxa, e um canivete foi apreendido com uma das agressoras.

Assista o vídeo:

Minutos após a primeira briga, a mãe, de 36 anos, e a avó, de 53 anos, da jovem agredida foram até a escola para conversar com a direção, mas acabaram agredindo as supostas agressoras. Todo o tumulto ocorreu nas dependências da escola.

Todos os envolvidos foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Taguatinga. As menores de 15 e 16 anos foram autuadas por ato infracional análogo a lesão corporal, enquanto as outras foram submetidas a investigação criminal. Professores e funcionários da escola também foram intimados a depor, e as investigações estão em andamento.

O caso é investigado pela 103ª Delegacia da Polícia Civil.

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) manifestou repúdio a qualquer forma de violência e afirmou estar desenvolvendo programas para prevenir episódios violentos nas escolas. A pasta assegurou que o caso será acompanhado de perto e que serão reforçadas as medidas de segurança.

A Seduc destacou o programa “Escola de Emoções”, que visa desenvolver as competências socioemocionais dos alunos para promover uma convivência saudável e contribuir para a gestão das emoções dentro do ambiente escolar.