Homem é preso por tentar marcar encontros sexuais com crianças; print mostra conversa

Segundo a Polícia Civil, investigado usava perfis falsos em uma rede social para se aproximar das vítimas. Caso está sendo investigado desde janeiro deste ano.

Compartilhe:

Um homem de 29 anos foi preso suspeito de tentar agendar encontros sexuais com crianças em Novo Gama, no Entorno ao Distrito Federal. De acordo com informações da Polícia Civil, o indivíduo utilizava perfis falsos em uma rede social para se aproximar das potenciais vítimas.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Segundo relatos policiais, o suspeito, por meio de identidades falsas, buscava estabelecer relações sexuais com crianças, aproximando-se de seus familiares e oferecendo quantias em dinheiro em troca de encontros criminosos, além de armazenar material pornográfico envolvendo menores de idade. As autoridades investigam o caso desde janeiro deste ano.

Lídia Silva Castro, porta-voz da polícia, afirmou: “Recebemos informações sobre o caso após uma denúncia de uma vítima e várias denúncias anônimas. Após uma investigação detalhada, conseguimos identificar o autor deste comportamento pedófilo.”

Segundo a Polícia Civil, através da colaboração com as redes sociais, foi possível identificar o suspeito e os detalhes dos crimes, o que subsidiou as representações e levou à aprovação das medidas pelo Judiciário.

Durante a execução dos mandados de busca e apreensão, os investigadores encontraram evidências não apenas das atividades criminosas, mas também de compartilhamento de outros materiais contendo pornografia infantil. Um print do suspeito tentando agendar um encontro foi divulgado pela polícia.

Mensagem de pedófilo divulgada pela polícia
Foto: Divulgação

O indivíduo detido, cujo nome não foi divulgado, foi preso na quarta-feira (10) sob acusação de favorecimento à exploração sexual de crianças e armazenamento de pornografia infantil. Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos em endereços relacionados à investigação.

A delegada responsável pelo caso afirmou que, até o momento, não há confirmação de que os encontros tenham ocorrido, mas que a investigação permanece em andamento. Ela também mencionou que a divulgação dos perfis foi feita pela polícia, com o intuito de identificar outras possíveis vítimas.