Bombeiro de folga escuta gritos de mãe e consegue salva criança de afogamento em piscina

Caso aconteceu em Paraíso do Tocantins. Soldado José Henrique Pessoa Neto conseguiu fazer os procedimentos para salvar a vida de José Vitor, de apenas dois anos.

Compartilhe:

O bombeiro José Henrique Pessoa Neto, de Paraíso do Tocantins, estava em casa durante sua folga na manhã de quinta-feira (16) quando ouviu os gritos desesperados de uma vizinha. Ao investigar, descobriu que uma criança estava desacordada. Sem hesitar, ele correu para ajudar.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Ao chegar na rua, José Henrique não sabia que o pequeno José Vitor Almeida Cabral, de 2 anos, havia caído na piscina. Ele imediatamente começou a agir, aplicando os conhecimentos que utiliza diariamente na corporação, o que resultou em salvar a vida do menino.

José Henrique relatou que só conhecia a família de vista e que a mãe da criança estava em estado de choque. Inicialmente, ele não sabia que se tratava de um afogamento.

“A mãe não conseguia falar o que havia acontecido, só chorava. Outra mulher que chegou antes de mim disse que era um engasgo”, explicou.

José Vitor estava sem respirar, e o bombeiro suspeitou de afogamento ao ver que ele estava todo molhado e lembrar da piscina na casa dos vizinhos. Ele iniciou os procedimentos específicos para salvar vítimas de afogamento.

“Peguei a criança nos braços e comecei as ventilações para remover a água dos pulmões, além de compressões torácicas”, disse. Após a segunda tentativa de reanimação, José Vitor voltou a respirar e chorou, um sinal de que estava fora de perigo.

O pai do menino, Fabrycio Luiz Costa Cabral, 34 anos, não estava em casa no momento do acidente. Ele contou que sua esposa, Bruna Carolina, agiu rapidamente ao pedir ajuda, encontrando o bombeiro que salvou seu filho.

Após os procedimentos de socorro, José Henrique pediu ajuda a um motorista que passava pelo local, que os levou ao hospital. José Vitor passou por exames e foi liberado no mesmo dia.

Para José Henrique, o salvamento foi um dever, mesmo estando de folga.