Vídeo mostra destroços de avião caindo do céu em MG; acidente matou sete pessoas

Segundo os bombeiros, aeronave se desintegrou no ar, e as partes caíram em um raio de 1 km.

Compartilhe:

Um vídeo gravado por um morador registra o momento dos destroços do avião que caiu em Itapeva (MG) neste domingo (28). O acidente matou sete pessoas e entre as vítimas, encontravam-se dois empresários do setor financeiro, seus familiares, o piloto e o copiloto do voo.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Assista o vídeo:

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, antes do acidente, a aeronave desintegrou-se no ar. Uma médica-legista, presente no local para a remoção dos corpos, informou que o avião se fragmentou em três partes maiores e várias partes menores. Os destroços ficaram espalhados em um raio de aproximadamente 1 km, conforme relatado pelos bombeiros.

As vítimas fatais são:

  • Marcílio Franco da Silveira, 42 anos: Empresário e fundador da Credfranco, Presidente da Anec.
  • Raquel Souza Neves Silveira, 40 anos: Esposa de Marcílio.
  • Antônio Neves Silveira, 2 anos: Filho de Raquel e Marcílio.
  • André Rodrigues do Amaral, 40 anos: Empresário e Conselheiro Administrativo da ANEC.
  • Fernanda Luísa Costa Amaral, 38 anos: Esposa de André.
  • Geberson Henrique Tadeu Chagas Pereira: Piloto.
  • Gabriel de Almeida Quintão Araújo, 25 anos: Copiloto.

A aeronave decolou do aeroporto dos Amarais, em Campinas (SP), às 10h09, e tinha como destino a cidade Belo Horizonte (MG). As vítimas, dois empresários e seus familiares, estavam em Campinas para uma premiação e decidiram passar o fim de semana na chácara de um amigo em Itu (SP) antes de retornarem a Belo Horizonte.

A aeronave, um modelo Piper PA46, chegou ao Campo dos Amarais na sexta-feira (26), às 12h48, permanecendo em um hangar particular. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião, registrado como PS-MTG, foi fabricado em 1996 pela Piper Aircraft e classificado como uma aeronave de serviço aéreo privado, sem permissão para realizar táxi aéreo, mantendo a regularidade para aeronavegabilidade.

Até o momento, não há informações precisas sobre as circunstâncias do acidente. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foi acionado e assumirá a condução das investigações.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp