Tocantins receberá 10,7 mil vacinas contra Covid para crianças na primeira remessa

Imunizantes devem chegar ao estado nesta sexta-feira (14). Gerente explica que a distribuição está prevista para começar apenas na próxima semana.

Compartilhe

O Tocantins receberá 10,7 mil doses da vacina infantil da Pfizer contra Covid-19 para imunizar crianças de 5 a 11 anos. O primeiro carregamento do imunizante chegou ao país na madrugada desta quinta-feira (13) e será distribuído ao estado nesta sexta-feira (14).

Segundo a gerente de imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO), Diandra Rocha, as vacinas ainda estão passando por análise de qualidade junto ao Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

“Por esta razão, as doses somente poderão ser usadas após aprovação do INCQS. Nossa previsão é que o inicio da vacinação das crianças, no Tocantins, ocorra na próxima semana”, disse.

A vacinação vai começar pelo grupo prioritário, como crianças com comorbidades e deficiências permanentes, com faixas etárias decrescentes.

Para a imunização será necessária a autorização dos pais. Se os responsáveis estiverem presentes no ato da vacinação será dispensado o termo por escrito. A orientação do Ministério é que exista recomendação prévia de um médico antes da vacinação.

O voo com as doses para o Tocantins deve decolar às 8h10 desta sexta-feira (14), com previsão de chegada em Palmas às 10h30. Logo depois as vacinas serão levadas para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). A distribuição aos municípios deve começar na próxima semana.

Vacinação infantil

A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, no dia 16 de dezembro, a vacinação de crianças desta faixa etária. Na segunda-feira (10), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou que a Pfizer vai antecipar a entrega de 600 mil doses. Com isso, o total de vacinas previstas para chegar em janeiro deve passar de 3,7 milhões para 4,3 milhões.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), o Brasil tem cerca de 20,5 milhões de crianças nessa faixa etária. De acordo com o governo, a vacinação infantil ocorrerá:

  • Em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente e para crianças quilombolas e indígenas;
  • Sem necessidade de autorização por escrito, desde que pai, mãe ou responsável acompanhe a criança no momento da vacinação;
  • Com intervalo de oito semanas – um prazo maior que o previsto na bula, de três semanas.
Diferenças

A vacina para crianças de 5 a 11 anos tem diferenças em relação à que foi aplicada nos adultos. Por isso, o governo federal adquiriu uma versão específica do produto com dosagens e frascos diferentes (foto acima), apesar de o princípio ativo ser o mesmo.

A mesma autorização de uso já foi concedida pelo FDA e pela EMA (agências regulatórias de saúde dos Estados Unidos e União Europeia).

Em outubro de 2021, a Pfizer disse que a vacina é segura e mais de 90,7% eficaz na prevenção de infecções em crianças de 5 a 11 anos. O estudo acompanhou 2.268 crianças de 5 a 11 anos que receberam duas doses da vacina ou placebo, com três semanas de intervalo.