Operação mira grupo suspeito de assaltar, extorquir vítimas e usar plataforma de jogos online para ocultar dinheiro roubado

Investigação começou após sequestro de empresários em Paraíso do Tocantins. Mandados foram cumpridos em Palmas e Luzimangues, distrito de Porto Nacional.

Compartilhe:

Nesta sexta-feira (24), uma operação da Polícia Civil do Tocantins cumpriu nove mandados contra suspeitos de integrar um grupo especializado em assaltos, sequestros e extorsões. Para ocultar o dinheiro roubado, os envolvidos estariam utilizando uma plataforma de jogos na internet

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Agentes da 6ª Divisão de Combate ao Crime Organizado (Deic) de Paraíso do Tocantins, com apoio de outras unidades especializadas, executaram nove mandados de busca e apreensão em endereços dos investigados em Palmas e no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional.

Durante a operação, foram recuperados nove relógios de luxo, alguns avaliados em mais de R$ 5 mil, além de outros bens adquiridos com o dinheiro roubado.

Início da Investigação

A investigação começou após o sequestro de um casal de empresários de Paraíso do Tocantins, ocorrido em 14 de fevereiro deste ano. Segundo a Polícia Civil, o casal foi abordado por três homens por volta das 22h, amarrado e feito refém enquanto os suspeitos roubavam joias de ouro, 16 relógios de grife e a caminhonete do casal.

Operação mira grupo suspeito de assaltar, extorquir vítimas e usar plataforma de jogos online para ocultar dinheiro roubado
Foto: Divulgação/SSP-TO

O delegado Antônio Onofre Oliveira da Silva Filho, responsável pela operação, explicou que as vítimas também foram forçadas a realizar transferências bancárias e, posteriormente, foram deixadas na zona rural de Barrolândia. A caminhonete foi encontrada abandonada alguns quilômetros depois.

Uso de Plataforma Online

Os investigadores descobriram que os suspeitos usavam uma plataforma de jogos online para ocultar o dinheiro roubado. As vítimas eram obrigadas a transferir dinheiro para esta plataforma, dificultando o rastreamento das quantias. A polícia identificou o responsável por operar a plataforma e realizar os saques, mas o nome não foi divulgado. Dos 16 relógios roubados, nove foram recuperados.

Operação mira grupo suspeito de assaltar, extorquir vítimas e usar plataforma de jogos online para ocultar dinheiro roubado
Foto: Divulgação/SSP-TO
Histórico Criminal dos Suspeitos

Os alvos da operação têm histórico de crimes como roubo a banco, explosão de caixas eletrônicos, latrocínio, extorsão, tráfico de drogas, além de serem suspeitos de outros roubos e extorsões.

O inquérito policial com os nomes dos envolvidos será enviado ao Judiciário e ao Ministério Público Estadual. Segundo a polícia, os suspeitos devem responder por roubo qualificado pelo uso de arma de fogo, concurso de pessoas e restrição da liberdade, associação criminosa e lavagem de dinheiro.