Operação da PF investiga morador de Araguaína suspeito de armazenar 672 imagens com pornografia infantil

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido pelos agentes federais na cidade.

Compartilhe

Uma operação da Polícia Federal resultou no cumprimento de um mandado de busca e apreensão com o objetivo de investigar um morador de Araguaína suspeito de armazenar 672 fotos e vídeos relacionados a abuso sexual infantil. A Ação, batizada de operação Velar foi deflagrada nesta quarta-feira (13).

Segundo a PF, a investigação apura a divulgação e transmissão de imagens ou outros registros que contenham cenas de sexo explícito ou pornografia envolvendo crianças ou adolescentes no município. Nesta fase, foi dado cumprimento ao mandado expedido pela Justiça Estadual do Tocantins.

O trabalho de investigação decorre de uma cooperação técnica investigativa entre a Polícia Federal e National Center for Missing and Exploited children (NCMEC), que em português significa Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas.

A organização informou à PF sobre a ação de um morador da cidade que armazenava grande quantidade de imagens com conteúdo relacionado ao abuso infantil.

Segundo a corporação, o nome “Velar” faz referência ao compromisso da instituição em permanecer vigilante, em reprimir crimes de armazenamento e compartilhamento de mídias contendo abuso sexual envolvendo criança ou adolescente via internet.

A PF destacou ainda que em razão da pandemia causada pela COVID-19, foi adotada logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPI’s a todos os envolvidos, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas e investigados, informou a instituição.