PM é atropelado horas antes do casamento, passa por cirurgia e sobe ao altar em cadeira de rodas; Vídeo

Capitão Silvio Anderson da Silva Vanderlei e Ana Paula Barbosa de Sena se casaram em uma chácara de Araguaína, no norte do Tocantins. A mulher, que ficou viúva após ter o companheiro morto em um assalto, conta que teve medo de perder o noivo.

Compartilhe

Um casamento realizado em Araguaína, no norte do estado, emocionou os convidados. É que o noivo, o capital da Polícia Militar, Silvio Anderson da Silva Vanderlei, foi atropelado horas antes da cerimônia. Mesmo tendo sofrido uma fratura exposta perto do tornozelo e passado por uma cirurgia de urgência ele decidiu se casar e apareceu na festa em uma cadeira de rodas e sob efeito de fortes medicamentos.

A noiva Ana Paula Barbosa de Sena, que já tinha perdido um marido, ficou em choque, e disse que o ato “foi uma declaração de amor perfeita”. Um vídeo feito no local mostra o policial lesionado indo em direção ao altar.

Assista o vídeo:

Ana Paula, que é administradora e trabalha como vendedora em um estabelecimento da cidade, conta que o acidente aconteceu no último domingo (10) quando o noivo saía de casa para ir ao salão cortar o cabelo. “Era manhã. Ele estava de moto e foi atingido por um carro. Eu estava no salão a uma esquina do acidente e vi ele todo ensanguentado”, disse.

Ao ver o noivo no local da colisão a mulher relembrou a cena de terror que viveu anos atrás. Aos 36 anos ela já passou por vários traumas, como a morte do pai e do primeiro marido. Ana Paula conta que o companheiro anterior foi assassinado em 2016. Ana Paula conta que teve medo de passar pela mesma situação no dia do casamento.

“Ele é a primeira pessoa que tive depois de ter ficado viúva. Passei anos trancada. No momento do acidente achei que ele também não ia sobreviver porque naquele momento a gente não sabe o que realmente aconteceu. Tremi as pernas, comecei a bater os queixos era como se eu estivesse revivendo aquele trauma. Eu estava fora de mim e anestesiada pelo choque. Ele foi para o hospital de emergência e precisei ir para a UPA”

Contou Ana Paula.

O casal se conheceu por telefone, através de um amigo, e começou o namoro em 2019. O pedido de casamento foi feito no dia 3 de julho de 2021. Durante meses, tudo foi organizado para que a festa começasse às 16h deste domingo.

Foto: Divulgação

O policial Messias Ribeiro, que é amigo, padrinho e ‘cupido’ do casal conta que o acidente atrasou a cerimônia, mas em nenhum momento o noivo pensou em adiá-lo.

“Foi uma saga. Ele foi socorrido pelo Samu, se manteve consciente e falava o tempo todo que queria casar naquele dia, independente de qualquer coisa. Deu entrada no centro cirúrgico, foi imobilizado, fez uma cirurgia de limpeza e médicos disseram que ele precisa de mais um procedimento. Ele foi pra cerimônia e saiu do casamento direto para o hospital. Foi uma solenidade emocionante, cheia de expectativas e superação”, disse o padrinho.

A noiva conta que passou todo o dia chorando. A decoração da festa chegou a ser desmontada, mas depois tudo foi organizado novamente, como o noivo queria.

“Fiquei com o rosto inchado de tanto chorar. Eu estava em choque e queria em outra data, mas ainda bem que aconteceu. Ele fez uma declaração de amor mais que perfeita. Teve tanto amor por mim e respeito por todos que estavam ali. Ele parece um super-herói. Mesmo quebrado ele estava lá, ainda com efeito de medicamentos, sem poder se mexer direito. Não teve uma pessoa que não chorasse no casamento”,

Disse o noivo.

O capitão Vanderlei estava internado em um hospital particular de Araguaína na terça-feira (12), e o estado de saúde é estável. O policial realizou vários exames, incluindo tomografia, e aguarda a realização de um novo procedimento.

A noiva, depois do susto, conta que o sentimento é de gratidão. “Meu choque foi do tamanho do amor que sinto por ele. Agora estou sentindo muita gratidão. Nunca questionei Deus pelo que aconteceu comigo”, disse.

*Por G1