No Tocantins, profissionais das forças de segurança começam ser vacinados contra o coronavírus

Imunização já está sendo realizada em cidades do interior do estado. As maiores cidades do estado ainda não divulgaram datas de quando começa a vacinação desses profissionais.

Compartilhe

Profissionais das forças de segurança começaram a ser vacinados contra o coronavírus no interior do Tocantins. Ao todo, 20 policiais militares foram vacinados com as vacinas disponibilizadas pelas secretarias de saúde das cidades de Pedro Afonso, Bom Jesus do Tocantins e Tupiratins. Foram aplicadas doses da CoronaVac e da AstraZeneca.

Em Pedro Afonso, na região centro-norte do estado, os primeiro policiais receberam a dose inicial do imunizante na manhã desta segunda-feira (12).

Os profissionais das forças de segurança, que lidam diretamente com as ações de combate à pandemia, foram incluídos no grupo prioritário no início de abril. As primeiras doses para esse público foram recebidas na semana passada e estão sendo distribuídas aos municípios.

Nas maiores cidades do estado – Palmas, Araguaína e Gurupi, que também são as mais afetadas, – ainda não foram divulgadas datas de quando começa a vacinação para os profissionais das forças de segurança.

Quem pode ser vacinado

Poderão ser vacinados profissionais que atuam no Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Penal, Agentes de Trânsito, Guarda Municipal, Policiais penais, Agentes do Socioeducativo e fiscais que compõem a força tarefa do Procon-TO.

Um uma nota técnica, o Ministério da Saúde direcionou a seguinte ordem de prioridade:

  • Trabalhadores envolvidos no atendimento e/ou transporte de pacientes;
  • Trabalhadores envolvidos em resgates e atendimento pré-hospitalar;
  • Trabalhadores envolvidos diretamente nas ações de vacinação contra a Covid-19;
  • Trabalhadores envolvidos nas ações de vigilância das medidas de distanciamento social, com contato direto e constante com o público independente da categoria.

Os demais trabalhadores da segurança pública e forças armadas, que não se enquadrarem nas atividades descritas acima, deverão ser vacinados de acordo com o andamento da campanha nacional de vacinação contra a Covid-19.