Paraíso do TO: Pistoleiro suspeito de matar cigano tinha tabela de preços e cobrava até R$ 300 mil por morte

Investigação da polícia apontou que crime foi encomendado porque a vítima teria um relacionamento com uma mulher casada. Matador de aluguel foi preso em Brasília e será transferido para o Tocantins.

Compartilhe

A Polícia Civil identificou e prendeu o suspeito de matar um homem e deixar um outro gravemente ferido em Paraíso do Tocantins, na região central do estado. O crime aconteceu no mês de fevereiro e o suspeito foi capturado em Brasília (DF). O criminoso seria um pistoleiro que cobrava até R$ 300 mil para cometer os assassinatos.

O crime aconteceu no setor Nova Fronteira, no dia 8 de fevereiro. As duas vítimas eram ciganas. Um homem, de 41 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu após ser socorrido, enquanto o enteado dele, de 22 anos, ficou em estado grave e segue internado.

As investigações apontaram que o crime ocorreu porque a vítima de 41 anos estava tendo um relacionamento amoroso com uma mulher casada em outro estado.

“Inicialmente, conseguimos apurar que foi uma execução, um crime encomendado, uma vez que identificamos o autor como sendo um matador de aluguel, um pistoleiro que age, nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo e também no Tocantins”, explicou o delegado-chefe Hismael Athos.

A prisão do suspeito, de 39 anos se deu por meio de uma operação realizada por civis e militares em Brasília,. Durante as investigações, a polícia descobriu que o matador de aluguel trabalhava com uma tabela de preços que variava entre R$ 30 mil e R$ 300 mil.

O suspeito segue preso em Brasília, mas será transferido para o Tocantins. Ele foi indiciado pelos crimes de homicídio qualificado e duas tentativas de homicídio. O caso continua sendo investigado para determinar quem encomendou a morte.