‘Múmias extraterrestres’ achadas no Peru são, na verdade, bonecos feitos com ossos de animais

Resultado da investigação forense sobre os objetos encontrados no aeroporto de Lima, em outubro, foi divulgado pelo Ministério da Cultura do Peru nesta sexta-feira (12).

Compartilhe:

Uma investigação forense realizada no Peru revelou que as duas “múmias extraterrestres” que surgiram misteriosamente no aeroporto de Lima em outubro são, na verdade, bonecos confeccionados com ossos de animais.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

O arqueólogo Flavio Estrada, do Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses do Peru, esclareceu em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (12): “A conclusão disso em termos simples: é uma fraude. Não são extraterrestres, não são uma nova espécie.”

As duas estatuetas, com cerca de 60 centímetros, foram encontradas no correio do aeroporto de Lima dentro de uma caixa de papelão e foram elaboradas para se assemelharem a corpos mumificados, vestindo trajes tradicionais andinos.

Na época, surgiram especulações sobre uma possível origem alienígena. “É uma história totalmente inventada”, acrescentou Estrada.

‘Múmias extraterrestres’ achadas no Peru são bonecos feitos com ossos de animais

Em setembro do ano passado, dois pequenos corpos mumificados com cabeças alongadas e mãos com três dedos foram apresentados em uma audiência no Congresso mexicano, gerando ampla cobertura midiática. O jornalista mexicano e entusiasta de OVNIs Jaime Maussan afirmou que esses corpos tinham cerca de 1 mil anos e foram recuperados no Peru em 2017, mas a maioria dos especialistas, posteriormente, classificou a apresentação como fraude.

Na conferência de imprensa em Lima, nesta sexta-feira (12), organizada pelo Ministério da Cultura do Peru, os especialistas não afirmaram se as bonecas encontradas no aeroporto estavam relacionadas com os corpos apresentados no México, mas destacaram que os restos mortais no México também não são extraterrestres.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.

*Com informações do G1