Mulher tinha ganhado casa de programa habitacional dez dias antes de morrer em acidente

Ela estava com o marido e a filha bebê em uma motocicleta que foi atingida por uma picape em Palmas. Motorista tentou fugir, foi preso mas foi liberado após pagar fiança.

Compartilhe:

Mayara Pereira dos Santos, de 26 anos, que morreu em um acidente de trânsito em Palmas, havia ganhado uma casa de um programa habitacional 10 dias antes de tudo acontecer. Ela estava com o marido, Maiko Luís Pereira, e a filha bebê do casal em uma motocicleta que foi atingida por uma picape. A batida aconteceu no dia no sábado (14), em um cruzamento da avenida Teotônio Segurado.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Segundo informações da Agência de Trânsito e Transportes de Palmas (ATTM), após a colisão, o motorista tentou fugir, mas foi interceptado e levado para uma delegacia de Polícia Civil.

Conforme a Secretaria de Segurança Pública, o condutor estava visivelmente embriagado. Na delegacia, ele foi indiciado por homicídio no trânsito e duas vezes por lesão corporal.

Foto: TV Anhanguera

O marido dela e a bebê ficaram feridos e foram encaminhados para o Hospital Geral de Palmas. Ele recebeu alta hospitalar, mas a criança segue internada.

A conquista da casa própria Mayara lembrada pelo governador do Tocantins, Wanderley Barbosa. Em uma publicação, ele lamentou a morte da dona de casa e disse que a vítima estava em processo de mudança para a casa nova. Ela deixou seis filhos.

Motorista de picape foi liberado após pagar fiança

O empresário Gilson Antônio do Couto que se envolveu no acidente grave que matou Mayara, foi libertado provisoriamente após uma audiência de custódia. Ele foi solto após pagar fiança estipulada pelo juiz no valor de 20 salários mínimos, o que equivale a pouco mais de R$ 26 mil e terá que cumprir medidas cautelares.

Para responder ao inquérito em liberdade, o empresário também deve cumprir outras medidas. Ele está proibido de se ausentar da comarca de Paraíso e de Palmas sem autorização do juiz e de sair de casa entre 23h e 5h da amanhã. Gilson também deve “prestar toda a assistência às vítimas”.

Foto: Reprodução

A defesa do empresário expressou que seu cliente lamenta profundamente o ocorrido e está disposto a cooperar inteiramente com a investigação em andamento. Ele se comprometeu a oferecer todo o apoio necessário às vítimas envolvidas no acidente.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.