Mulher é presa após jogar álcool e atear fogo em homem que foi socorrido por policial de folga; Vídeo

Caso aconteceu em Paraíso do Tocantins. Segundo a polícia, a mulher disse que havia sido estuprada pelo homem na noite anterior ao crime. Ambos vivem em situação de rua.

Compartilhe:

Uma mulher de 50 anos foi detida após atear fogo em um homem em Paraíso do Tocantins, na região central do estado. Um policial de folga que presenciou a cena conseguiu socorrer a vítima. O caso foi registrado às 07h30 desta terça-feira (4) no centro da cidade.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Segundo a Polícia Militar, o 1º Sargento Borges apareceu no momento em que o caso acontecia. Ele informou que conseguiu apagar o fogo que já queimava parte do corpo da vítima.

Vídeo:

A Secretaria de Segurança Pública informou que a mulher foi conduzida à 9ª Central de Atendimento da Polícia Civil, em Paraíso, onde foi autuada em flagrante por tentativa de homicídio qualificado com o uso de fogo. Isso ocorreu depois que ela derramou álcool sobre um homem e ateou fogo nele em via pública.

Em seu depoimento, a mulher afirmou que vive na rua com um homem de 28 anos e que, na noite anterior, a vítima teria abusado sexualmente dela. Como ato de vingança, ao amanhecer do dia seguinte, a mulher foi a um posto de gasolina, onde comprou R$ 4 de álcool, e retornou ao local onde o companheiro dormia.

Lá, ela jogou o líquido inflamável sobre o homem e ateou fogo. O homem acordou e começou a se debater. Nesse momento, um policial militar que passava pelo local, situado em uma das avenidas de Paraíso, prestou socorro à vítima, que foi levada ao Hospital Regional de Paraíso para receber atendimento médico. A mulher, que observava a cena, foi abordada e detida pela PM.

Após as medidas legais pertinentes, ela foi encaminhada ao Sistema Penal do Estado e aguardará decisão judicial. As investigações sobre o caso continuarão para que a Polícia Civil possa confirmar ou refutar a alegação de violência sexual feita pela autora. Para isso, foram solicitados os exames necessários durante a lavratura do flagrante.