MP instaura inquérito para apurar colisão entre balsas que matou mulher e deixou feridos em Porto Nacional

Além das análises conduzidas pela empresa, Marinha e Polícia Civil, o MP também conduzirá uma apuração.

Compartilhe:

O Ministério Público do Tocantins informou que iniciará uma investigação sobre o acidente envolvendo duas balsas no município de Porto Nacional. Além das análises conduzidas pela empresa, Marinha e Polícia Civil, o MP também conduzirá uma apuração.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Conforme informações divulgadas pelo órgão, a 7ª Promotoria de Justiça de Porto Nacional abriu uma Notícia de Fato na segunda-feira (19), com o propósito de “investigar as circunstâncias do acidente”. O promotor de Justiça Luiz Antônio Francisco Pinto está encarregado do procedimento, sendo o titular da 7ª Promotoria.

O Ministério Público acionou a Marinha, por meio da Capitania Fluvial do Araguaia – Tocantins, que já está conduzindo um inquérito próprio para apurar os detalhes do incidente. O objetivo é obter informações adicionais sobre o caso e verificar a eficácia das fiscalizações dos veículos de transporte fluvial.

Sobre o acidente

O colisão entre as balsas ocorreu no último dia 15, enquanto as embarcações realizavam a travessia do rio, transportando diversos veículos e passageiros. Cinco pessoas ficaram gravemente feridas após a colisão e foram encaminhadas para hospitais públicos. Até a última quarta-feira (21), duas permaneciam hospitalizadas.

Marcela de Jesus, cujo estado de saúde era mais grave, estava inicialmente internada no Hospital Geral de Palmas (HGP), Ela foi transferida para um hospital particular na mesma cidade, mas não resistiu aos ferimentos.

A empresa Pipes afirmou estar em contato direto com o pai da vítima e a equipe médica para providenciar o translado do corpo e arcar com as despesas do funeral, além de oferecer apoio à família.

Investigação

O acidente é investigado pela Polícia Civil e Marinha do Brasil, por meio da Capitania Fluvial do Araguaia-Tocantins. A Marinha está conduzindo um Inquérito Administrativo sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN) para apurar as causas, consequências e possíveis responsáveis pelo incidente. A investigação está em andamento, incluindo a coleta de provas periciais, documentais e testemunhais, com prazo de 90 dias, podendo ser prorrogado.

Imagens publicadas nas redes sociais mostram uma das balsas pouco depois do acidente. Vítimas e testemunhas contaram que não houve tempo de correr e foram atingidas pelas ferragens.

Colisão envolvendo balsas deixa feridos durante travessia no rio Tocantins
Foto: Reprodução

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp

O serviço de balsas é crucial na região e foi retomado no mesmo dia do acidente, após a realização de perícias e liberação das embarcações.

A região conta com uma ponte antiga sobre o rio Tocantins, atualmente aberta apenas para carros de passeio, enquanto uma nova ponte está em construção desde setembro de 2019, com previsão de conclusão para julho de 2024, após adiamentos.