MP dá dez dias para que concessionária e prefeitura retirem poste colocado no meio da rua

Estrutura foi instalada antes da rua, em Colinas do Tocantins, ganhar asfalto. Companhia de energia disse que aguarda prefeitura se manifestar sobre os custos da retirada.

Compartilhe:

Um poste de energia elétrica instalado no meio da rua Moacir Camilo do Nascimento, em Colinas do Tocantins, no norte do estado, tem causado problemas no trânsito local. Diante disso, o Ministério Público enviou um ofício à Energisa, a concessionária responsável pelo serviço, solicitando a retirada da estrutura para solucionar a questão.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

A demanda surgiu a partir de denúncias de moradores nas redes sociais, que reclamaram da instalação irregular do poste. A principal preocupação é com a possibilidade de acidentes devido à presença do poste no meio da rua.

De acordo com o MP, a Energisa tem um prazo de dez dias para tomar as medidas necessárias para remover o poste. Além disso, a prefeitura também foi oficiada para que, no mesmo período, informe quais providências foram adotadas em relação à situação com a concessionária.

Rua antes de ser asfaltada – Foto: Divulgação

Após a repercussão do caso, o município colocou barreira em volta da poste com o objetivo de previnir acidentes.

Vídeo:

Questionada sobre o caso, a Energisa afirmou que ainda não recebeu o ofício do Ministério Público. No entanto, a empresa explicou que o poste foi instalado em 2011, quando a rua Moacir Camilo do Nascimento não possuía pavimentação. A instalação teria seguido o alinhamento de guia informado pelo poder público naquela época.

Em abril deste ano, após a via ser pavimentada, a prefeitura solicitou a retirada do poste à empresa. No entanto, a Energisa informou ao Município que os custos da remoção são de responsabilidade do poder público. Como a prefeitura não teria dado retorno à concessionária para realizar o serviço, o poste ainda permanece no local.

A Prefeitura de Colinas ainda não se posicionou sobre o caso.