Marido de professora assassinada em Pequizeiro é denunciado pelo MP; motivo da briga teria sido por chave de carro

Washington Luiz Santana de Oliveira está preso desde a época do crime. Morte de Elisabeth Figueiredo gerou comoção e protestos na cidade.

Compartilhe

O Ministério Público ofereceu denúncia nesta terça-feira (6) contra Washington Luiz Santana de Oliveira, acusado de matar a tiros a própria mulher, a professora Elisabeth Figueiredo. O crime aconteceu na casa do casal em Pequizeiro, norte do Tocantins. O acusado está preso desde a época do crime, registrado no último 7 de junho.

A denúncia do promotor Adriano Zizza Romero detalha sobre como tudo teria acontecido. A conclusão da Polícia Civil foi de que o crime foi motivado por uma briga pela chave do carro de Elisabeth.

As investigações apontaram que o marido teria ficado agressivo após exigir que Elisabeth lhe entregasse a chave do veículo e ela se recusar. Washington Luiz teria então agredido a professora, jogado ela no chão da garagem e efetuado um disparo no olho esquerdo da vítima.

Primeiramente, o acusado tentou alegar à polícia que a mulher cometeu suicídio, mas a versão foi desmentida por duas testemunhas e pelo laudo da perícia realizada na casa. Uma destas testemunhas relatou que ouviu o marido gritar “eu vou te ensinar como se respeita um homem”, antes de efetuar o tiro.

O histórico de brigas do casal, também confirmado por vizinhos, levou os investigadores a conclusão de que a professora tinha sido assassinada pelo marido.

Na denúncia o Ministério Público requer que o acusado vá a júri popular por feminicídio qualificado, por causa do motivo fútil e do uso de recurso que dificultou a defesa da vítima. O suspeito segue detido na Casa de Prisão Provisória de Guaraí.

A morte de Elisabeth Figueiredo gerou comoção e protestos na cidade. No último dia 1º houve uma manifestação de amigos, colegas de trabalho e parente pelas ruas de Pequizeiro.