Mãe e padrasto são presos suspeitos de torturar bebê de 1 ano em Goiás

Prisão ocorreu após o casal levar a criança a um hospital, alegando que ele se machucou ao cair enquanto brincava. Bebê está internado em estado gravíssimo e respira com ajuda de aparelhos.

Compartilhe:

A mãe e o padrasto de um bebê de apenas 1 ano foram presos suspeito de torturar a criança em Quirinópolis, no sudoeste de Goiás. De acordo com a Polícia Civil, a prisão ocorreu após o casal levar a criança a um hospital, alegando que ele havia se machucado após uma queda enquanto brincava.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

No entanto, na segunda-feira (8), a equipe médica do hospital da cidade identificou diversas marcas, incluindo queimaduras de cigarro, mordidas, unhas das mãos roxas e a falta das unhas dos pés, além de hematomas na cabeça.

Diante da gravidade das lesões, os funcionários do hospital acionaram a polícia e o casal, cujos nomes não foram divulgados, foi detido em flagrante.

Por causa da gravidade dos ferimentos, o bebê foi transferido para o Hospital Materno Infantil de Rio Verde e, posteriormente, encaminhado em uma UTI móvel para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira, em Goiânia.

O Hospital informou nesta terça-feira (9) às 13h50 que o paciente “está internado na UTI Pediátrica da unidade, possui estado geral gravíssimo e respira com ajuda de aparelhos”.

A delegada Simone Casemiro, da Polícia Civil de Quirinópolis, responsável pelo caso, afirmou que o “casal continua detido e aguarda o laudo do Hospital Estadual de Urgências para dar continuidade às investigações”.