Jovem foi torturado e obrigado a entrar na própria cova antes de ser morto a facadas

Crime aconteceu em Paraíso do Tocantins. Wriel Hélio Rodrigues Oliveira, 26 anos, teria sido assassinado por membros de facção criminosa.

Compartilhe:

Um crime brutal ocorrido em Paraíso do Tocantins, na região central do estado, chocou pela sua extrema crueldade. Wriel Hélio Rodrigues Oliveira, de 26 anos, foi submetido a tortura dentro de uma boca de fumo, local destinado à venda de drogas, e posteriormente levado para as margens de um córrego, onde foi obrigado a entrar em sua própria cova. A vítima foi morta com pelo menos 20 facadas, resultando em seu falecimento.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

As informações foram fornecidas pela Polícia Civil, que elucidou o crime no sábado (11), dia em que o corpo foi encontrado próximo ao setor Vila Regina. Um adolescente de 17 anos foi apreendido e revelou os detalhes do assassinato, enquanto um homem suspeito de envolvimento no homicídio está atualmente foragido.

As investigações indicam que a motivação para o crime seria a desconfiança dos suspeitos em relação à vítima. Os agressores suspeitavam que Wriel Hélio Rodrigues Oliveira estivesse denunciando traficantes para a polícia, o que consideravam inaceitável. O delegado Antonio Onofre de Oliveira Filho ressaltou que o adolescente apreendido admitiu sua simpatia por uma facção criminosa e confessou ter participado de pelo menos outros dois homicídios.

Conforme o delegado, inicialmente o caso era tratado como desaparecimento, no entanto, durante as investigações surgiu a suspeita de que Wriel pudesse ter sido vítima de homicídio cometido por integrantes de uma facção criminosa.

“Conseguimos elementos que apontaram que o adolescente e um comparsa adulto foram os autores. Ao verificarmos que esse adolescente tinha um mandado de busca e apreensão em aberto, demos cumprimento ao mandado e, consequentemente, ele confessou o crime e disse onde teria enterrado o cadáver da vítima que era apenas usuária de drogas”, informou Antonio Onofre.

Foto: Divulgação/SSP-TO

Segundo a polícia, o menor relatou que Wriel foi capturado na boca de fumo e severamente torturado. Em seguida, eles levaram a vítima toda machucada até as proximidades de um córrego no mesmo setor. Lá cavaram uma cova rasa, mandaram a vítima entrar dentro da cova, e depois desferiram diversos golpes de faca, abrindo o corpo da vítima, cortando a vítima toda.

“Foram para mais de 20 perfurações com golpes de faca, segundo relatos do autor”, informou o delegado.

O adolescente foi encaminhado para a sede da 6ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (DEIC) e autuado em flagrante por ato infracional análogo ao crime de ocultação de cadáver, e ainda responderá pelos homicídios praticados. Após os procedimentos legais, será encaminhado para uma unidade do sistema socioeducativo.

Família ficou assustada com a crueldade

A família de Wriel Hélio Rodrigues Oliveira ficou profundamente abalada com a brutalidade de seu assassinato. O jovem, desaparecido desde setembro, teve seu corpo encontrado neste sábado em uma cova rasa. A polícia revelou que ele foi submetido a tortura e obrigado a entrar na própria cova antes de ser morto.

Um parente, que preferiu não ser identificado, expressou a comoção da família diante da forma como Wriel foi encontrado e do sofrimento que enfrentou. O jovem, usuário de drogas, era solteiro, trabalhava em uma fazenda com um tio e lutava para superar o vício.

“Era um rapaz amoroso, nunca fez mal a ninguém. Já estava há mais de um ano recuperado. No entanto, infelizmente, meses antes de sua morte, ele havia recaído no vício. Era apenas um usuário”, relatou o parente.

A família agora busca por justiça. O corpo da vítima foi recolhido pelo Núcleo de Medicina Legal de Paraíso, onde passará por exames de necropsia e antropologia forense. Devido ao avançado estado de decomposição, será necessário realizar exame de DNA para confirmar a identificação genética antes de liberá-lo para os familiares.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.