Em Palmas: Operação da PF investiga família suspeita de lavar de dinheiro e mandar recursos para o exterior

Segundo a PF, grupo movimentou cerca de R$ 500 milhões e dinheiro seria de outras pessoas e empresas investigadas por crimes de corrupção e fraude em licitações.

Compartilhe:

Nesta quinta-feira (14), a Polícia Federal deflagrou em Palmas a “Operação Aliança”, com objetivo de aprofundar as investigações relacionadas a crimes de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de organização criminosa. Segundo a corporação, os alvos, que são da mesma família, são suspeitos de realizar remessas de dinheiro para o exterior sem autorização legal.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

De acordo com as apurações, esse grupo movimentou quase R$ 500 milhões. Agentes da Polícia Federal estão cumprindo seis mandados de busca e apreensão em Palmas. Esses mandados foram emitidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado do Tocantins.

Segundo os investigadores, parte dos recursos tinha origem em empresas com vínculos a outras pessoas físicas e jurídicas já investigadas em operações anteriores da Polícia Federal por crimes como corrupção, peculato, fraude a licitação, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

A investigação teve início após a descoberta de movimentações financeiras suspeitas na fronteira com a Bolívia e a prisão em flagrante de alguns membros da organização criminosa.

A Polícia Federal conseguiu rastrear a origem do dinheiro e constatou que parte dos recursos provinha de empresas ligadas a uma mesma família e mantinha conexões com outras pessoas físicas e jurídicas já sob investigação em operações anteriores da Polícia Federal.

Os envolvidos poderão ser responsabilizados pelos crimes de evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa, cujas penas, somadas, podem alcançar 24 anos de prisão, além de multa.

O nome da operação refere-se ao vínculo familiar entre os suspeitos da organização criminosa e à aliança formada entre eles.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.