Buscas por menino indígena que desapareceu na Ilha do Bananal continuam

Após chegar oitavo dia de buscas, ainda não há pistas de Bruno Karajá, de 11 anos, segundo o Corpo de Bombeiros. O menino desapareceu no dia 21 de janeiro.

Compartilhe:

Indígenas e bombeiros prosseguem para o oitavo dia consecutivo de buscas pelo desaparecido Bruno Karajá, de 11 anos, na Ilha do Bananal. As equipes enfrentam condições climáticas variáveis, trabalhando incansavelmente na área entre Santa Terezinha (MT) e Pium (TO), onde o indígena foi visto pela última vez. A busca pelo Bruno continua neste domingo (28).

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Desde o desaparecimento do menino no último domingo (21), uma força-tarefa foi mobilizada, realizando buscas incansáveis ao longo do dia, utilizando recursos terrestres, aéreos e aquáticos. No sábado (27), as operações iniciaram por volta do meio-dia, devido às intensas chuvas na região.

Buscas por menino indígena desaparecido na Ilha do Bananal
Foto: Divulgação

Apesar dos desafios, a área coberta pelas buscas foi significativamente ampliada, contando com a colaboração de muitos indígenas. No entanto, até o momento, não foram encontradas pistas de Bruno.

No sábado à tarde, um helicóptero retornou a Palmas, enquanto bombeiros, indígenas e três militares de Mato Grosso permanecem na região.

Resumo da busca ao longo da semana:

  • No dia 21, os indígenas iniciaram as buscas assim que Bruno desapareceu. Um vaqueiro afirmou ter visto a criança a cerca de 15 km da aldeia Macaúba.
  • Em 22 de novembro, equipes do Grupamento Aéreo da Polícia Militar e do Grupo de Resgate dos Bombeiros sobrevoaram a região onde Bruno foi visto pela última vez, rastreando vestígios e pegadas do menino.
  • Na noite de 23 de novembro, um grupo de indígenas intensificou as buscas na mata. Evidências sugeriram que Bruno esteve na região.
Buscas por menino indígena desaparecido na Ilha do Bananal
Foto: Divulgação
  • Em 24 de novembro, as equipes de busca receberam apoio militar de Mato Grosso. Houve relatos de um cacique avistando a criança, mas ela teria fugido ao se aproximar. O cachorro que acompanhava Bruno também retornou sozinho naquele dia.
  • As buscas continuaram nos dias subsequentes, mas até agora não foram obtidas pistas sobre o paradeiro do menino. No dia 26 de novembro, um helicóptero da Polícia Militar de Mato Grosso sobrevoou a área para auxiliar nos esforços de busca, enquanto representantes das forças de segurança e indígenas reuniram-se para discutir estratégias adicionais.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp