Brigadista morto na porta de casa foi alvejado por tiro de espingarda, diz polícia

Segundo a polícia, o tiro que matou que partiu de casa abandonada em Formoso do Araguaia. PM fez um patrulhamento na região, mas nenhum suspeito foi encontrado.

Compartilhe:

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Uma espingarda cartucheira disparada de uma casa desocupada foi a responsável pela morte ddo brigadista Sidiney de Oliveira Silva, 44 anos, em frente ao local onde o crime ocorreu, em Formoso do Araguaia, no sul do Tocantins. É o que aponttou investigação da polícia, segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Sidiney presidia a Associação de Brigadistas da Brigada Federal (Brif) Nordeste e atuava no Prevfogo, órgão ligado ao IBAMA. combatendo incêndios florestais. Ele estava prestes a começar seu trabalho como brigadista no Tocantins quando foi tragicamente morto.

O autor do disparo ainda não foi identificado. Contudo, uma testemunha relatou à polícia ter visto um indivíduo de jaqueta e capacete, parado em uma motocicleta na esquina próxima ao local do assassinato, na manhã de sábado (15).

A testemunha afirmou que o motoqueiro permaneceu observando a área por algum tempo. Conforme registrado em boletim de ocorrência, Sidiney havia se levantado às 7h30 da manhã para checar a água e o óleo do carro e foi alvejado na porta da residência de sua irmã.

Após o crime, a Polícia Militar realizou buscas na região, mas não localizou nenhum suspeito.

Foto: Divulgação

A irmã da vítima relatou ter ouvido sons semelhantes a ‘explosões’ e ao verificar encontrou Sidiney caído e agonizando próximo ao portão. Ela não conseguiu identificar o atirador. Uma equipe de emergência confirmou o óbito no local.

O sepultamento de Sidiney ocorreu no domingo (16) no cemitério municipal de Formoso do Araguaia, e a 84ª Delegacia de Polícia está investigando o caso.

Sidiney, conhecido como ‘Neném’ por amigos e colegas, era um brigadista experiente que iria iniciar seu trabalho no Tocantins neste ano. Ele deixou esposa, três filhos e residia na Aldeia Imotxi II, na Ilha do Bananal.

O Ibama emitiu uma nota de pesar destacando sua experiência no manejo integrado do fogo e habilidade com equipamentos especializados como o Sling Dragon.