Acusado de esquartejar e queimar corpo de homem em milharal é condenado a seis anos de prisão

Crime aconteceu em Brejinho de Nazaré, na região central do Tocantins. Thiago Ribeiro dos Santos, de 22 anos, vai cumprir pena por homicídio simples, em regime semiaberto.

Compartilhe:

Um dos envolvidos na morte de Douglas Ferreira Gomes recebeu uma sentença de seis anos de prisão em regime semiaberto após ser julgado pelo Tribunal do Júri de Porto Nacional, nesta quarta-feira (24). Douglas foi morto a facadas, esquartejado e teve seu corpo queimado em um milharal em abril de 2022, na cidade de Brejinho de Nazaré, região central do estado.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Thiago Ribeiro dos Santos, de 22 anos, e Rodrigo Alves dos Reis, de 27 anos, são acusados do crime. Apenas Thiago enfrentou o júri popular nesta quarta-feira, após a separação dos processos durante a fase de coleta de provas, segundo o Tribunal de Justiça (TJTO).

A Defensoria Pública atuou na defesa do réu, mas informou que não comenta sobre as decisões judiciais envolvendo pessoas assistidas.

O julgamento ocorreu ao longo do dia no Fórum de Porto Nacional, e a sentença, proferida no início da noite pelo juiz Alessandro Hofmann Teixeira Mendes, determinou a pena após os jurados considerarem Thiago culpado pelo crime de homicídio simples e absolvê-lo da acusação de ocultação de cadáver.

Thiago, que está preso desde maio de 2022, terá que cumprir mais 4 anos e 16 meses de pena. Ele foi solto após o julgamento, conforme o TJ, pois a pena é em regime semiaberto, permitindo que trabalhe ou faça cursos durante o dia, mas obrigando-o a passar as noites em uma unidade prisional.

Rodrigo Alves, o outro acusado pela morte de Douglas, será julgado posteriormente, de acordo com informações do TJ.

Entenda

Segundo denúncia do Ministério Público do estado, o crime foi motivado pelo suposto ingresso de Douglas em uma facção rival àquela à qual Rodrigo e Thiago pertenciam. Os restos mortais de Douglas foram encontrados em um milharal em 22 de abril, após seu desaparecimento em 19 de abril.

A perícia revelou que ele foi brutalmente esquartejado e sofreu várias facadas no tórax antes de ter seu corpo queimado pelos réus.