Vídeo de professora jogando água na cabeça de aluno que dormia em sala de aula causa revolta

Caso aconteceu em uma escola particular em Guaraí, na região centro-norte do Tocantins.

Compartilhe:

Um vídeo compartilhado nas redes sociais mostra uma professora em uma escola particular em Guaraí, no centro-norte do estado, jogando água na cabeça de um estudante para acordá-lo durante a aula. O caso ocorreu na quarta-feira (14) e gerou repercussão nas redes sociais.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Assista o vídeo:

Nas imagens, é possível ver uma sala de aula com vários estudantes sentados, enquanto um adolescente dorme no chão próximo à parede. A professora, que ministra aulas de português e literatura, se aproxima do estudante com uma garrafa de água e começa a despejar água em sua cabeça do garoto para acordá-lo.

O estudante, assustado, se levanta enquanto seus colegas começam a rir da situação. Alguns alunos parecem incrédulos com o que estavam testemunhando. Durante o vídeo, a professora diz: “Vai para casa, não tem vergonha não?”

Ao G1, o estudante, de 17 anos, explicou que acorda todos os dias por volta das 4h da manhã para ir à escola, uma vez que sua família mora a mais de 50 quilômetros de Guaraí. Ele disse que estava cansado e deitou por alguns minutos durante a troca de professores, o que levou à situação.

Após ser molhado pela professora, ele disse que arrumou suas coisas e deixou a sala de aula. No entanto, ao perceber que seus colegas haviam gravado o ocorrido, ele retornou para pedir que compartilhassem o vídeo. A mãe do estudante, que foi à escola na manhã seguinte, pediu à direção que substituísse a professora e ameaçou retirar o filho da escola se nenhuma medida fosse tomada.

A escola não havia respondido até a publicação da reportagem, e não foi possível entrar em contato com a professora envolvida. A mãe do estudante expressou sua insatisfação com a maneira como a situação foi tratada, enfatizando que a atitude da professora foi inapropriada e que medidas apropriadas devem ser tomadas.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.