Vereador de Almas que estava foragido é preso pela polícia em chácara

Marcão da Caçamba é investigado por extorsão em aposta entre dois moradores da cidade. Ele estava foragido desde dezembro e no dia da posse enviou representante para assumir em seu lugar.

Compartilhe

O vereador eleito Narciso Marcos Borges (MDB), de 56 anos, foi preso pela Polícia Civil após ser encontrado em uma chácara na zona rural de Almas, na região sudeste do Tocantins. Ele estava foragido desde dezembro quando teve a prisão preventiva decretada pela Justiça por suspeita de extorsão. O caso ganhou repercussão depois que o parlamentar tomou posse na Câmara de Vereadores enviando um representante com uma procuração.

A Polícia Civil do Tocantins informou que a prisão aconteceu nesta quarta-feira (20). O vereador é o segundo suspeito de ameaçar e agredir um homem para garantir o pagamento de uma aposta feita entre dois amigos durante as Eleições 2020.

No começo deste ano, o vereador se manifestou sobre o caso e enviou um vídeo para a TV Anhanguera. Marcão da Caçamba, como é conhecido, afirmou que o que está sendo vítima de uma injustiça e cometeu “apenas uma lesão corporal simples”.

A polêmica envolvendo o vereador começou no dia das eleições. Conforme divulgado pela polícia na época, dois moradores da cidade fizeram uma aposta sobre o resultado da votação para vereador.

O eleitor que apostou na vitória de Marcão da Caçamba venceu a disputa. Como o amigo não quis pagar o valor combinado, o vencedor chamou o próprio vereador para ajudar a cobrar a dívida de R$ 4 mil.

Na época, a vítima disse que começou a sofrer ameaças de morte e agressões por parte do suspeito e também do vereador. O parlamentar afirmou que a aposta foi feita entre um apoiador da campanha e outro morador da cidade.

O apoiador de Marcão da Caçamba foi preso em flagrante por extorsão qualificada. A Polícia Civil afirmou que ele confessou o crime e disse que iria dividir o dinheiro com o vereador. O parlamentar teve o mandado de prisão decretado em dezembro e desde então estava foragido.

Polêmica na Câmara

O caso ganhou repercussão depois que Marcão da Caçamba enviou o presidente do partido para tomar posse, com uma procuração, no cargo de vereador.

O representante não apenas assumiu o cargo, como também participou da eleição da mesa diretora e foi determinante para a escolha do presidente da Câmara de Vereadores de Almas.

O caso foi parar na Justiça, que decidiu anular a eleição da mesa diretora por conta da “existência de irregularidades ocorridas na sessão”.

*Por G1