Trio suspeito por fazer ‘arrastão’ durante festejo religioso é indiciado pela Polícia Civil

Crime aconteceu durante os festejos em Ponte Alta do Bom Jesus, no sudeste do Tocantins. Suspeitos vão responder por roubo qualificado, furto e tentativa de latrocínio.

Compartilhe:

Três homens foram indiciados por fazer ‘arrastão’ durante o Festejo do Bom Jesus dos Aflitos, em Ponte Alta do Bom Jesus, no dia 30 de junho. O inquérito concluído pela Polícia Civil inclui os crimes de roubo qualificado, furto e tentativa de latrocínio.

Segundo o delegado Lucas Rodrigues, revelaram que os investigados, de 18, 19 e 36 anos, saíram de Taguatinga em direção a Ponte Alta do Bom Jesus, onde ocorria o festejo. No local, dois deles, armados com uma faca, tentaram roubar um veículo Gol branco que estava estacionado próximo ao evento.

“No momento do crime, uma mulher estava dormindo dentro do veículo, e os investigados tentaram segurá-la e levá-la juntamente com o carro. No entanto, a vítima conseguiu se livrar e fugir”, explicou o delegado.

Minutos depois, os dois investigados tentaram roubar outro veículo, também estacionado nas proximidades, cortando a fiação da ignição para ligá-lo diretamente. Como não tiveram sucesso, eles partiram para a tentativa de roubo de uma motocicleta. Entretanto, o proprietário do veículo os avistou e tentou intervir para evitar o roubo, momento em que o terceiro investigado disparou um tiro, atingindo a vítima na região axilar.

“Os investigados demonstraram ser extremamente perigosos, pois se deslocaram até Ponte Alta do Bom Jesus com intenção de cometer crimes violentos, utilizando uma faca e um revólver calibre 38. Além disso, não hesitaram em ameaçar uma das vítimas, causando terror ao afirmar que a levariam junto com o veículo”, ressaltou o delegado.

A Polícia Civil conseguiu recuperar os objetos pessoais das vítimas que estavam dentro do veículo. O autor do disparo foi preso em flagrante pela Polícia Militar, enquanto os outros dois indivíduos foram presos pela Polícia Civil na manhã desta sexta-feira, 14, após serem identificados e alvo de representação policial.

Se acordo com a polícia, os três indiciados estão atualmente detidos na Unidade Prisional de Taguatinga, aguardando ação do Poder Judiciário. O inquérito sobre o caso foi concluído e encaminhado ao Poder Judiciário e ao Ministério Público para as providências legais necessárias.