Tocantins é 4º colocado no ranking nacional de queimadas; estado registrou mais de 4,8 mil focos

O estado já contabiliza 4.815 registros de focos desde o inicio do ano. Um dos últimos incêndios atingiu grande área de uma fazenda em Porto Nacional destruindo cerca de dois mil hectares da propriedade.

Compartilhe:

Desde o inicio do ano, o estado do Tocantins j, o que o coloca em quarto lugar no ranking nacional de ocorrências. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Veja a relação dos estados com maior incidência de focos de incêndio:

  • Mato Grosso – 8.964
  • Pará – 7.231
  • Maranhão – 6.744
  • Tocantins – 4.815

O aumento nos focos de incêndio ao longo deste ano tem gerado preocupação tanto entre as autoridades quanto entre os proprietários de áreas rurais. O tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Alex Matos Fernandes, destaca a preocupação particular com a segunda metade de agosto e o início de setembro, bem como a sua possível extensão ao longo do mês de setembro.

Nesse período, a umidade relativa do ar cai abaixo de 30%, as temperaturas permanecem consistentemente acima de 30 graus Celsius e as rajadas de vento superam os 30 km/h.

Um dos incêndios mais recentes ocorreu em uma fazenda na zona rural de Porto Nacional, resultando em sérios danos à produção de soja e milho. Dos seis mil hectares da propriedade, pelo menos dois mil foram afetados.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, os estragos teriam sido ainda maiores se não fossem os aceiros (faixas de terra sem vegetação) criados por funcionários e vizinhos que se uniram para combater as chamas.

Foto: Reprodução

O fogo se propagou rapidamente, deixando uma densa nuvem de fumaça sobre a TO-050. Foram necessárias quase 24 horas para extinguir as chamas. O gerente da fazenda, Carlos Boni, foi o primeiro a chegar ao local onde o incêndio teve início, mas não conseguiu contê-lo a tempo.

A Polícia Científica enviou uma equipe para realizar perícias no local, analisando imagens capturadas no local e por satélites. Esses dados serão utilizados pela Polícia Civil durante a investigação.

Os prejuízos foram consideráveis, e o desafio para o proprietário estar em recuperar a produtividade da terra.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.