Sargento abre fogo em festa julina do exercito, mata mulher e deixa outros cinco feridos

O sargento teria atirado na mulher, que também é militar, por não ter seus sentimentos correspondidos e depois foi baleado e morto por um policial penal. Confusão aconteceu durante apresentação de quadrilha, em Uberlândia (MG).

Compartilhe:

Durante uma festa junina na noite de sexta-feira (14), uma sargenta do Exército foi assassinada por um colega militar em Uberlândia, em Minas Gerais. O autor dos disparos foi identificado como o sargento Isaque Frederico Silva Ferreira, de 32 anos. O crime foi motivado por ciúmes, uma vez que o agressor não tinha seus sentimentos correspondidos pela vítima.

Cerca de 500 pessoas participavam da festa. O crime aconteceu durante a presentação de uma quadrilha, Em um vídeo que circula pelas redes sociais é possível ver a confusão após o inicio dos disparos. Assista o Vídeo:

Vídeo: Divulgação

Testemunhas e relatos policiais afirmam que Isaque atirou várias vezes na sargento Stephanie da Silva Magalhães, de 26 anos, acertando-a inclusive na cabeça. Infelizmente, Stephanie faleceu, e outras cinco pessoas foram atingidas pelos disparos, incluindo o namorado dela, que também é militar e encontra-se em estado grave no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia.

O agressor foi neutralizado por um policial penal presente no local, que atirou nele, resultando em sua morte.

Além do namorado da sargento, um soldado do Exército também está em estado grave no HC-UFU, enquanto os outros três feridos não correm risco de morrer.

Segundo informações apuradas pela Polícia Militar, o motivo do ataque foi ciúmes. O sargento Isaque Ferreira não aceitou ver a colega, por quem nutria sentimentos, com outro homem e reagiu disparando contra eles.

Cerca de 500 pessoas participavam da festa

Em comunicado, o Exército Brasileiro expressou profundo pesar pelos eventos ocorridos no Grêmio Recreativo de Subtenentes e Sargentos de Uberlândia na noite de 14 de julho de 2023, e prestou condolências às famílias dos dois militares que perderam suas vidas. Os feridos estão recebendo cuidados médicos e o 36º Batalhão de Infantaria Mecanizado reafirma seu compromisso em conduzir uma investigação rigorosa dos acontecimentos através de um Inquérito Policial Militar já instaurado.

*Com informações do Estado de Minas