Saiba quem são os sete candidatos confirmados para eleição suplementar do Tocantins

Compartilhe:

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Em um final de semana bastante movimentado na política do Tocantins, os nomes dos candidatos que disputarão a eleição suplementar vão se confirmando após as convenções partidárias. A disputa promete ser acirrada para escolha do governador que comandará o estado por apenas seis meses, o que na boca de muitas pessoas é chamado de “mandato tampinha. Para muitos articulistas de plantão, quem vencer este pleito terá vantagens nas eleições em outubro, quando os tocantinenses voltarão às urnas para escolher o governador para assumir a partir de 1º de janeiro de 2019.

As confirmações tiveram início neste sábado (21), em um ar mais tranquilo, mas já dando pinta de ficar mais agitado no domingo (22), o que se confirmou.  O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) confirmou o procurado Mário Lúcio Avelar como candidato da sigla. No mesmo dia o ex-juiz Márlon Reis foi oficializado pelo Rede. No dia seguinte, Márlon anunciou o coronel da PM Edivan de Jesus Silva como vice.

A balançada inicial na movimentação deste domingo ficou por conta da desistência do deputado Paulo Mourão (PT) da disputa. Já os petistas que pareciam apoiar a senadora Kátia Abreu (PDT) acabaram por embarcar na chapa do ex-prefeito Carlos Amastha (PSB), numa tentativa de formar uma frente de “esquerda” e com direito a indicação a vice na chapa.

Em uma festa com direito a chegada de ônibus, os ex-prefeito teve sua candidatura homologada na convenção do partido, realizada no Espaço Cultural em Palmas. No evento foi anunciado Célio Moura (PT), como candidato a vice. Com PC do B também compondo a chapa, Amastha terá o maior tempo de propaganda na TV.


| A convenção do PSB confirmou candidatura de Amastha

Com a participação massiva de líderes e prefeitos, a convenção do Partido da República (PR) homologou a candidatura do senador Vicentinho Alves. O Pros e Solidariedade comporão a chapa de Vicentinho. Apesar da orientação nacional para ficar fora da disputa, o senador contará com o apoio de grande parte do MDB.


| Vicentinho chega carregado nos braços na convenção do PR

Na convenção realizada na Assembleia Legislativa, o deputado e governador interino Mauro Carlesse (PHS) teve sua candidatura referendada. O evento contou coma participação do ex-governador Siqueira Campos e da deputada Dorinha Seabra (ambos do DEM), e outras várias lideranças políticas. O deputado Olintho Neto deve ser o candidato a vice na chapa.


| A convenção do PHS aconteceu na Assembleia Legislativa

A candidatura da senadora Kátia Abreu também foi referendada neste domingo, na convenção do PDT. O evento aconteceu na sede do partido. A senadora terá como candidato a vice, o empresário marco Antônio Costa (PSD). A composição fechada pela candidata, além do seu Partido, também terá o PSC, presidido pelo deputado estadual Osires Damaso; o PEN, presidido pelo Sargento Aragão; o PRTB, presidido por Julio Cézar Fidelix; e o Avante, presidido por Aldison de Lyra.


| Candidatura de Kátia Abreu também foi oficializada

O pretenso candidato deputado Osires Damaso (PEN), também desistiu de sua candidatura e declarou apoio a Kátia Abreu.

A sétima candidatura a se confirmar foi a do empresário Marcos de Sousa pelo PRTB. A convenção do partido aconteceu na noite deste domingo.

Sozinho na estrada
Depois de sobrar e ficar sozinho, no meio a toda movimentação política que se deu durante o final de semana, o senador Ataídes Oliveira anunciou a sua desistência em disputar a eleição. Após horas de de avaliação fechada, o PSDB, presidido pelo senador resolveu liberar as lideranças da sigla para apoiarem quem quiser.

Entenda
Marcelo Miranda (MDB) foi cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no fim de março por captação irregular de recursos e caixa 2. No entanto, no dia 6 de abril, uma liminar do ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal o reconduziu ao cargo de governador, até que o TSE julgasse os embargos de declaração, instrumento jurídico usado para esclarecer pontos contraditórios da sentença. Na última quarta-feira (18), os ministros do tribunal rejeitaram os embargos e decidiram manter o afastamento de Marcelo.

Com a decisão do TSE, Mauro Carlesse, presidente da Assembleia Legislativa, reassumiu o cargo e fica até que seja realizada a eleição suplementar ou até que o ministro Gilmar Mendes julgue outra liminar do governador cassado Marcelo Miranda.

Calendário das eleições suplementares

1º Turno
21 e 22 de abril – Convenção
23 de abril – Registro da candidatura – Prazo final (19 horas)
24 de abril – Início da propaganda eleitoral
18 de maio – Prazo máximo para julgamento do registro de candidatura
22 de maio – Prazo máximo para substituição do candidato (respeitando o prazo de 12 dias antes da eleição)
02 de junho – Termino da propaganda eleitoral (primeiro turno)
03 de junho – Eleições Suplementares

2º Turno
04 de junho – Início da propaganda eleitoral
23 de junho – Termino da propaganda eleitoral
24 de junho – Eleições

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *