Porto Nacional é a cidade tocantinense que mais movimenta comércio exterior

Compartilhe:

Porto Nacional lidera o ranking das cidades do Tocantins que mais movimentam o comércio exterior. A informação está na Balança Comercial referente ao primeiro semestre de 2017, divulgada pela Federação das Industrias do Estado do Tocantins (Fieto).

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

De acordo com os dados, o município portuense teve um crescimento de 410% na exportação de soja e 117% na exportação de milho. Palmas ocupa segundo lugar nas exportações do primeiro semestre, subindo 6 posições se comparado ao mesmo período de 2016, devido ao aumento nas exportações de soja, bijuterias e outros artefatos confeccionados, incluídos moldes para vestuário.

Os números mostram que as exportações aumentaram 32,6% e as importações 147,5% no Tocantins em comparação ao primeiro semestre de 2016. Nas exportações o mês de maio foi o que mais se destacou representando 30,3% do total do primeiro semestre. Também em maio foi registrado um crescimento de 44,5% em relação a 2016. Já nas importações, o mês de maior destaque foi fevereiro com 28,8% do total do primeiro trimestre e um aumento de 384% na comparação com o ano anterior. O estudo está disponível no site da Fieto

As exportações e importações cresceram no Brasil e em toda a região Norte. A Região Norte representou, nesse primeiro semestre, 8% das exportações do Brasil e 7% das importações. O Tocantins foi responsável por 7% das exportações desta Região Norte e 0,5% da exportação total do Brasil.

O produto mais exportado do Estado é a soja seguido por carnes desossadas de bovinos. Já o gasóleo e o metanol são os produtos mais importados. O gasóleo aparece com maior participação sendo importado dos EUA e da China.

A China é o principal parceiro comercial do Tocantins nas exportações. As principais demanda são a soja, couros e peles de bovinos. Nas importações o principal parceiro é os Estados Unidos com produtos como gasóleo, sulfato de amônio e complementos alimentares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *