PMs são mortos e o suspeito do crime e cinco familiares dele são assassinados no PE

Os homicídios ocorreram em menos de 24 horas. Uma das vítimas transmitiu a própria morte ao vivo pelas redes sociais (Vídeo).

Compartilhe:

Uma onda de homicídios foi registrada entre noite de quinta (14) e a manhã de sexta (15) em Recife e na Zona da Mata Norte de Pernambuco, numa sequência de tiroteios e execuções. Ao todo, oito pessoas foram assassinadas. Dois policiais militares foram mortos e uma mulher grávida e um adolescente de 14 anos ficaram feridos após um tiroteio em Camaragibe, no Grande Recife, na quinta-feira (14), durante uma abordagem policial. Algumas horas depois, na madrugada e na manhã de sexta (15), seis pessoas da mesma família foram mortas: o suspeito do crime, a esposa, que estaria grávida de 7 meses, a mãe e três irmãos dele.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

As vítimas dos assassinatos são as seguintes:

Soldado Eduardo Roque Barbosa
  • Eduardo Roque Barbosa de Santana, 33 anos: soldado do 20º Batalhão da Polícia Militar, com seis anos de serviço. Foi morto enquanto respondia a uma ocorrência em Tabatinga, Camaragibe, deixando esposa e duas filhas.
Cabo Rodolfo José
  • Rodolfo José da Silva, 38 anos: cabo do 20º Batalhão da PM, com oito anos de serviço. Faleceu em Tabatinga, Camaragibe, durante operações para deter suspeitos de crimes, deixando esposa e uma filha.
Suspeito Alex Silva
  • Alex Silva, 33 anos: suspeito de matar os dois policiais, foi morto durante um tiroteio com a polícia, em Camaragibe. Não possuía histórico criminal e tinha registro para a posse de arma de fogo para atividades esportivas.
Ágata, irmã de Alex
  • Ágata Ayanne da Silva, 30 anos: irmã de Alex, foi assassinada por homens encapuzados em Tabatinga, Camaragibe, depois de ter sido baleada. Ela transmitiu ao vivo sua própria morte pelo Instagram.
Amerson, irmão de Alex
  • Amerson Juliano da Silva, 25 anos: irmão de Alex, também foi morto a tiros pelos homens encapuzados em Tabatinga, junto com Ágata e Apuynã.
Apuynã Lucas, irmão de Alex
  • Apuynã Lucas da Silva, 25 anos: irmão de Alex, foi baleado junto com os irmãos Ágata e Amerson, em Tabatinga, Camaragibe, sendo posteriormente levado ao Hospital da Restauração, onde faleceu.
Mãe de Alex
  • Maria José Pereira da Silva: mãe de Alex, cujo corpo foi encontrado em um canavial em Paudalho, na Mata Norte de Pernambuco, ao lado do corpo da esposa de Alex.
Esposa de Alex
  • Nathália Nascimento: o corpo dela foi localizado ao lado do corpo de Maria José Pereira da Silva, no mesmo canavial em Paudalho.
Ministério Público vai apurar mortes

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) está conduzindo investigações sobre esses assassinatos, que envolvem os dois policiais e seis membros de uma mesma família. O MPPE solicitou laudos periciais e documentos relacionados às investigações a várias instituições, incluindo a Polícia Civil, a Polícia Militar, o Instituto de Criminalística, o Instituto de Medicina Legal e a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco.

O suspeito, Alex da Silva Barbosa, que teria matado os dois policiais, era registrado como Colecionador, Atirador e Caçador (CAC) e estava armado com uma pistola registrada para tiro esportivo. As investigações estão em andamento para esclarecer as circunstâncias dessas mortes.

Alex da Silva Barbosa era registrado como Colecionador, Atirador e Caçador (CAC) e estava armado com uma pistola, com mira laser, registrada para tiro esportivo

A governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, classificou esses crimes como “bárbaros” e destacou a importância de apurar as circunstâncias em que ocorreram. O secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, explicou que os policiais foram chamados para uma ocorrência após receberem informações sobre homens armados em uma casa.

No local, Alex Silva teria atirado contra os policiais, acertando tiros fatais em suas cabeças. Alex não tinha antecedentes criminais. As investigações continuam a fim de esclarecer os detalhes dessas tragédias.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.