PF investiga se desvio de recursos do Transporte Escolar foi usado por prefeito em viagem a Dubai

Foram cumpre 18 mandados de busca e apreensão em Formoso do Araguaia. Prefeito e vice foram presos por posse ilegal de arma de fogo durante operação.

Compartilhe:

Na manhã desta quinta-feira (1º), a Polícia Federal deflagrou a operação “Rota Dubai”, cumprindo 18 mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Formoso do Araguaia. A ação investiga o desvio de recursos públicos destinados ao Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

O contrato celebrado pela prefeitura em 2022, no valor de R$ 2.203.260,64, está sob escrutínio, e a investigação também abrange servidores que supostamente utilizavam sua influência junto a empresários para obter vantagens.

As investigações apontam ainda que entre as supostas vantagens indevidas, estaria a viagem do prefeito Heno Rodrigues da Silva (UB) e comitiva à Dubai, nos Emirados Árabes. Há evidências de inexecução parcial do contrato.

Operação da PF em Formoso do Araguaia
Foto: Divulgação

Os crimes atribuídos aos envolvidos incluem organização criminosa, peculato, frustração do caráter competitivo de licitação, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e corrupção passiva. As penas acumuladas para esses delitos podem totalizar até 62 anos de prisão.

Prefeito e vice presos

Durante as diligências, o prefeito de Formoso do Araguaia, Heno Rodrigues, o vice-prefeito Israel Borges Nunes (Republicanos) e um servidor foram detidos por posse ilegal de arma de fogo. A ação policial foi desencadeada no contexto da investigação sobre desvio de recursos públicos destinados ao transporte escolar.

Os mandados de busca foram cumpridos nas residências do prefeito e do vice, totalizando 18 ações. O prefeito foi encaminhado à base da Polícia Federal em Gurupi. O G1 solicitou um posicionamento à Prefeitura de Formoso do Araguaia e aguarda retorno.

Viatura da PF em Formoso do Araguaia
Foto: Divulgação

O advogado de defesa do prefeito, Massaro Okada, informou por telefone que está se inteirando sobre o caso para apresentar um posicionamento.

Além do contrato de 2022 com o programa de transporte, no valor mencionado anteriormente, a operação investiga a influência de servidores junto a empresários para obter vantagens ilícitas.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp