Vídeo: Para fugir da polícia homem sobe em poste e está há mais de 20 horas em cima da estrutura

Serviço de energia da região foi desligado, enquanto os policiais negociam a rendição. Indivíduo possui diversos inquéritos abertos por crimes de roubo, furto, dano, entre outros.

Compartilhe:

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Um homem de 38 anos, morador do bairro Clóvis Alvim em Itabira, região Central de Minas Gerais, subiu em um poste de luz para fugir da prisão após a chegada da Polícia Militar para cumprir um mandado de prisão, cujos detalhes não foram divulgados. Ele já está a mais de 20 horas em cima da estrutura e as forças de seguranças negociam a sua rendição

Tudo começou por volta das 16h30 desta sexta-feira quando, ao ser avistado pelos policiais, o homem subiu para o telhado de sua própria casa e começou a atirar objetos na direção dos agentes. Em seguida, pulou para o topo do poste de energia, onde permaneceu durante toda a noite de sexta-feira, madrugada e manhã de sábado.

Vídeo:

O fornecimento de energia elétrica na região precisou ser interrompido por questões de segurança.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e está acompanhando o caso. Até às 10h do sábado, o homem ainda estava no topo do poste. Moradores da área ficaram revoltados com a situação, pois ficaram sem luz devido ao corte do fornecimento.

Segundo a polícia, o indivíduo é procurado pela polícia por crimes de roubo e furto, além de outros inquéritos relacionados a delitos como dano e apropriação indébita.

O Corpo de Bombeiros está estudando estratégias para uma retirada segura do homem, que não pretende se jogar, mas reivindica seus direitos. Seis militares estão se revezando no local para garantir sua segurança, e a corporação presta apoio nas negociações, que envolvem familiares, advogados e representantes dos Direitos Humanos.

Foto: Divulação

A Cemig informou que 380 clientes estão sem energia na área, e a empresa já iniciou o religamento da eletricidade em ruas não diretamente relacionadas ao caso.

Quanto às negociações, a PM é responsável pelo cumprimento do mandado, mas como o homem não está armado, o comando é dos Bombeiros, e, até o momento, não foi necessário acionar os negociadores do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.