Moto com dívida de R$ 185 mil em multas é apreendida durante blitz em Palmas

Veículo tem o valor de mercado de pouco mais de R$ 6,8 mil. Durante a abordagem o motociclista teria desacatado os agentes, rasgado a notificação recebida e tentado fugir levando a chave da moto.

Compartilhe

Agentes de trânsito da Prefeitura de Palmas apreenderam uma motocicleta com mais de R$ 185 mil em débitos referentes a multas durante blitz. Na abordagem o homem ainda teria desacatado os agentes, rasgado a nova autuação e tentado fugir sem entregar a chave da moto.

A apreensão ocorreu na noite da última sexta-feira (20). O veículo, fabricado em 2014 e avaliado em pouco mais de R$ 6,8 mil e só vai voltar a rodar se o dono pagar todos os débitos.

Segundo a prefeitura, o motociclista foi abordado na Avenida NS-02, na região central de Palmas. Os agentes verificaram que a moto estava com a documentação atrasada e centenas de multas, totalizando 599 débitos junto aos órgãos de trânsito.

A maior parte da dívida é referente as infrações de trânsito, totalizando R$ 185.374,79. Também há débitos com licenciamento e seguro DPVAT, no valor de R$ 515.

A Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu) informou que as inúmeras infrações são por avanço de sinal e foram captadas pelos radares eletrônicos em diversos pontos da capital.

Ao ser questionado pelos agentes sobre a situação do veículo, o motociclista disse que a documentação da moto estava em nome do pai, que havia falecido recentemente, e como não havia sido feito inventário, ele estava usando o veículo para trabalhar como motoboy.

A pasta disse também que durante a abordagem o motociclista ficou bastante alterado, ser recusou a entregar a chave da moto e a fazer o teste do bafômetro, além de rasgar a nova multa aplicada pelos agentes. Ele foi autuado por mais três infrações.

A primeira, no valor de R$ 195,23, por desobedecer às ordens da autoridade competente de trânsito. A segunda de R$ 293,47 por conduzir veículo sem licenciamento, e a terceira, no valor de R$ 2.934,70, por se recusar a fazer o teste do bafômetro.

O homem ainda teve a CNH recolhida e a moto foi levada para o pátio da Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu).